fbpx
julho 30, 2013
0
||||| 0 |||||
691

A lucratividade do setor de resíduos sólidos

Você nunca mais enxergará o lixo como lixo

Você está jogando dinheiro no lixo!

Como é a lucratividade do setor de resíduos sólidos? Veja três casos de sucesso de empreendedores do lixo e transforme seu conceito sobre o lixo!

Segundo o IBGE (2014), de cada dez empresas seis fecham antes de completar cinco anos de atividade. O mesmo pode-se dizer do setor de resíduos sólidos. Ainda que seja um mercado muito lucrativo, muitos aventureiros vão à falência quando se arriscam sem os devidos conhecimentos. Neste exato momento você deve estar se perguntando: “Será que ele está falando de falta de conhecimentos técnicos?”. Não me refiro a este tipo de conhecimento, mas se você ficar aqui comigo juro que você vai se surpreender.

Em seguida reflita por uns instantes a respeito dos catadores nos lixões… na sua grande maioria são analfabetos e sem formação técnica. E mesmo assim conseguem seu sustento e de suas famílias. Assim sendo eles possuem noções parecidas com as dos empreendedores que alcançaram o sucesso empresarial no mercado de resíduos sólidos. Dessa forma características como essa permite aos empreendedores do lixo a obtenção de altos lucros e expansão de seus negócios. Depois dessa pista quentíssima algo me diz que você já vê a luz no fim do túnel.

“Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses.” (Sócrates)

Como promessa é dívida…aí vai! Tanto catadores como os empreendedores do lixo possuem o conhecimento de mercado de resíduos sólidos, só que em proporções diferentes. Os catadores de maneira superficial a fim de garantir a sua sobrevivência. Já o empresário conhece profundamente as regras, o que lhe permite mudar o jogo a seu favor quando necessário.

Veja como funciona A LUCRATIVIDADE DA ECONOMIA CIRCULAR NA ALEMANHA e descubra como ser um empresário de sucesso.

Como é a lucratividade do setor de resíduos sólidos?

Com base no princípio de responsabilidade compartilhada deu início a uma nova era ambiental no país. Tanto a União, Estados e Prefeituras, bem como empresas do setor industrial e comercial precisam elaborar seus planos de resíduos sólidos. Já que a lei prevê pena de 01 até 03 anos de reclusão e pagamento de multa para quem descumprir as exigências.

Nesta mudança de cenário, quem não conhece nada do setor de resíduos e precisa encontrar soluções, tende a ficar desesperado. Desse modo os prefeitos e empresários estão sendo pressionados pelo Ministério Público a elaborarem seus planos de gerenciamento de resíduos sólidos. E quanto mais o tempo passa o perigo de detenção se torna cada vez mais eminente.

Explorando o medo dos responsáveis, muitos consultores enxergam uma forma de lucratividade rápida. Embora, em alguns casos, aplicam soluções que nem sempre correspondem ao esperado pelas PNRS.

Se observarmos os empreendimentos de mais sucesso no setor, percebe-se que são aqueles que desempenham os primeiros objetivos da PNRS. Primordialmente: “não geração, redução, reutilização, reciclagem”. Todavia, tem se implantado cada vez mais ações de destinação, indo na contramão do que diz a Lei. Não somos contra os aterros sanitários, na verdade eles desempenham um papel fundamental na gestão dos resíduos. Assim, o ponto da discussão é: precisamos rever essa tendência de mercado conflitante com a nossa legislação.

A boa notícia é que a lucratividade do setor de resíduos sólidos é altíssima. Por isso movimentou em 2017 cerca de € 150 bilhões na Europa gerando mais de 2 milhões de empregos. Já no Brasil, espera-se que possamos movimentar mais de R$ 700 bi/ano.

Veja três casos de sucesso de empreendedores do lixo!

Carlos Pachelli

Carlos Pachelli, um dos sócios da Tramppo Gestão Sustentável de Lâmpadas. Empresa que em 2003 iniciou a criação do sistema de descontaminação de lâmpadas fluorescentes. Mas a empresa só passou a operar comercialmente no começo de 2008. “Hoje, temos mais de 600 clientes e reciclamos cerca de 300 mil unidades de lâmpadas por mês. Recebemos o material de hospitais, universidades, montadoras de veículos, entre outros. A empresa emprega 17 funcionários e projeta faturar mais de R$ 3 milhões neste ano. A operação se paga, e o negócio é rentável.” Portanto, Pachelli conta que são extraídos quatro subprodutos a partir das lâmpadas. “O vidro e o pó fosfórico são destinados para a indústria cerâmica. O terminal metálico vai para fundições e o mercúrio segue para institutos de pesquisa.”

Geraldo Rufino “O Catador de Sonhos”

Você nunca mais enxergará o lixo como lixo

Geraldo Rufino “O Catador de Sonhos”

Geraldo Rufino, 59, é fundador da JR Diesel, pioneira e maior empresa de reciclagem de caminhões do Brasil. Iniciou carreira no Playcenter aos 14 anos como como office boy e comprou o seu primeiro carro, um Fusca. Ainda assim dentro da empresa, continuou com a ideia de criar um pequeno negócio para sua estabilidade. Em 1985, criou a JR Diesel que completou 33 anos de mercado. Nesse meio tempo a empresa desmontou cerca de mil caminhões/ano em 2013, garantindo receita de R$ 50 milhões. Dessa forma, com a venda das peças usadas desses veículos, a companhia garante um custo mais baixo ao consumidor. Além de ser uma atividade altamente benéfica ao meio ambiente.

Nate Morris

Você nunca mais enxergará o lixo como lixo

Nate Morris, o Bilionário da reciclagem!

Nate Morris, de 37 anos, teve uma ideia de negócio: conectar empresas independentes de reciclagem a estabelecimentos que geram lixo. Assim nasceu a Rubicon Global, a startup foi lançada em 2009. Ela cobra uma taxa de assinatura mensal e anual da empresa de reciclagem que usa o aplicativo. Desse modo em 2017, a Rubicon faturou R$ 1 bilhão. “Reduzimos os custos de reciclagem para nossos clientes e capacitamos as pequenas empresas. Nosso objetivo é criar soluções mais sustentáveis ​​para empresas e para o planeta”, diz Morris. A Rubicon ainda ajuda as recicladoras a baratear seus custos. Além disso a startup fez parcerias com postos de gasolina, vendedores de autopeças e seguradoras para oferecer descontos às cooperativas. A Rubicon já recebeu R$ 642 milhões em aportes. Entre os investidores, destaca-se o ator e ativista ambiental Leonardo DiCaprio.

Nada melhor do que ouvir histórias de sucesso para nos inspirar nessa jornada. Agora veja como A LUCRATIVIDADE DA ECONOMIA CIRCULAR NA ALEMANHA tem papel crucial na economia europeia ao longo do tempo!

Palavras chaves: plano de negócio usina de reciclagem, sites sobre resíduos sólidos, portal do resíduos sólidos, venda de resíduos sólidos, como abrir uma empresa de coleta de resíduos, noticias sobre resíduos sólidos urbanos, empresas que geram resíduos sólidos, empresas de gestão de resíduos sólidos.

REFERÊNCIAS

Artigo atualizado em 27 de agosto de 2018, pelo Engº Ambiental e Sanitarista André Luis Ferreira

 

 

Share this:
Tags:

About gleysson

gleysson

Sou especialista em transformar problemas ambientais em negócios sustentáveis. Formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios

  • LinkedIn
  • Email

Add Comment