fbpx
dezembro 11, 2013
0
||||| 0 |||||
2052

Biodigestor Indiano

O biodigestor de campânula flutuante, também conhecido como Biodigestor Indiano, é composto de uma câmara de digestão e de um depósito de gás móvel e caracteriza-se por possuir uma campânula como gasômetro, a qual pode estar mergulhada sobre a biomassa em fermentação, ou em um selo d’água externo, e uma parede central que divide o tanque de fermentação em duas câmaras. Este flutua diretamente sobre o lodo em digestão ou em um selo hídrico. O fato de o gasômetro estar disposto ou sobre o substrato ou sobre o selo d’água, reduz as perdas durante o processo de produção do gás.

O modelo indiano possui pressão de operação constante, ou seja, à medida que o volume de gás produzido não é consumido de imediato, o gasômetro tende a deslocar-se verticalmente, aumentando o volume deste, portanto, mantendo a pressão no interior deste constante.

A função da parede divisória faz com que o material circule por todo o interior da câmara de fermentação.

Este modelo pode ser operado como um biodigestor contínuo com descarga automática, dispensando o tanque de compensação. Estes equipamentos apresentam alto custo de construção, devido à necessidade da campânula, geralmente metálica que entra em corrosão resultando uma vida útil curta, em torno de cinco anos. Com isso, o Biodigestor Indiano apresenta também altos custos de manutenção e tem a necessidade periódica de pintura da campânula.

Quando construído, apresenta o formato de um poço. Movimenta-se para cima e para baixo de  acordo com a produção de biogás. Ocupa pouco espaço e a  construção, por ser subterrânea, dispensa o uso de reforços, tais como cintas de concreto. Caso a cúpula seja de metal,  deve-se fazer uso de uma boa pintura com um antioxidante.

caminhos para o sucesso profissional, como agir para alcançar uma carreira de sucesso, sucesso na carreira frases, como alcançar o sucesso na vida, sucesso profissional definição, sucesso na carreira profissional frases, sucesso profissional redação, sucesso profissional conceito

Segredo revelado! Agora você pode saber como planejar sua carreira profissional no setor de resíduos sólidos. Vamos lá?

A figura abaixo representa o esquema estrutural de um biodigestor modelo Indiano, utilizado para a produção de biogás e biofertilizante, aonde observa-se a presença das caixas de entrada e saída, utilizadas para abastecimento de dejetos e retirada do biofertilizante, respectivamente.

Esquema e funcionamento de um Biodigestor Indiano

Esquema e funcionamento de um Biodigestor Indiano

O resíduo a ser utilizado para alimentar o biodigestor indiano, deverá apresentar uma concentração de sólidos totais (ST) não superior a 8%, para facilitar a circulação do resíduo pelo interior da câmara de fermentação e evitar entupimentos dos canos de entrada e saída do material. O abastecimento também deverá ser contínuo, ou seja, geralmente é alimentado por dejetos bovinos e/ou suínos, que apresentam uma certa regularidade no fornecimento de dejetos.

A figura abaixo mostra a representação tridimensional em corte do Biodigestor Indiano

Foto tridimensional de um Biodigestor Indiano

Foto tridimensional de um Biodigestor Indiano

Do ponto de vista construtivo, apresenta-se de fácil construção, contudo o gasômetro de metal pode encarecer o custo final, e também à distância da propriedade pode dificultar e encarecer o transporte inviabilizando a implantação deste modelo de biodigestor.

Por ser um biodigestor que fica no subsolo, é preciso ter cuidado, evitando infiltração no lençol freático.

No modelo de Biodigestor Indiano, não existe automação e o controle do processo ocorre de forma natural.

A Índia foi o primeiro país a instalar biodigestores em massa para a produção de biogás. A primeira unidade foi construída por volta de 1.908. Em 1.951 ano que o Governo criou um programa para a implantação de biodigestores existiam cerca de 1.950 biodigestores no país. Após 40 anos, o número de biodigestores na Índia já passava de 160 mil unidades instaladas.

Share this:
Tags:

About gleysson

gleysson

Sou especialista em transformar problemas ambientais em negócios sustentáveis. Formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios

  • LinkedIn
  • Email

Add Comment