fbpx
junho 7, 2013
0
||||| 0 |||||
1508

Biodigestor para o tratamento de resíduos sólidos orgânicos urbanos ou municipais

O Portal Resíduos Sólidos é o maior especialista em resíduos sólidos do mundo em língua portuguesa

O Tratamento de Resíduos Sólidos Orgânicos Urbanos com Biodigestores Anaeróbios é um grande negócio para os três grandes setores da economia: O agronegócio, Energia e Resíduos Sólidos

O que é lixo orgânico? Quais os tipos de resíduos sólidos orgânicos? Que tipo de resíduos orgânicos pode ser tratado em biodigestores? Use Biodigestor para o tratamento de resíduos sólidos orgânicos urbanos ou municipais e faça grandes negócios 

Acusado de ser um dos maiores causadores de poluição nas cidades, o lixo orgânico é a vedete dos resíduos. Caso não tratado corretamente, o lixo orgânico polui rios, atrai vetores como ratos e insetos e espalha doenças. Além disso, o mau cheiro e o aspecto ruim costumam causar repulsa na sociedade de um modo geral. Podemos dizer que é graças ao resíduos orgânicos que a palavra lixo é associada a tudo o que não presta. Existe solução para os resíduos sólidos orgânicos?

Empreendedores de países desenvolvidos perceberam nos resíduos orgânicos uma grande oportunidade. O princípio para negócios é claro. Quanto maior o problema, mas se pode lucrar com a solução. Onde os rios e lençóis freáticos estão poluídos, onde há lixões e lixo pelas ruas, se fazem os melhores negócio.

Mas como desenvolver negócios com o tratamento do lixo orgânico? Como lucrar com o gerenciamento de resíduos orgânicos? No Curso Online de elaboração de PLANO DE NEGÓCIO PARA BIODIGESTORES o conhecimento dos mestres está em suas mãos. Você monta seu negócio com as mesmas estratégias dos maiores empresários da área de biogás sem perder tempo e dinheiro.

Participe do melhor treinamento empresarial gratuito oferecido pelo Virapuru Training Center Lixo é Dinheiro

Treinamento Empresarial - Lixo é Dinheiro - 100% online e Gratuito

O que é lixo orgânico?

De um modo geral e linguagem popular, podemos falar em lixo organico e inorganico. O lixo orgânico é todo material de origem animal ou vegetal que é descartado. Também chamado de resíduos orgânicos ou resíduos sólidos orgânicos, representam a maior quantidade gerada em centros urbanos. Em uma linguagem mais técnica, o lixo orgânico municipal recebe o nome de Fração Orgânica de Resíduos Sólidos Urbanos (FORSU).

Normalmente todo lixo inorgânico gerado em domicílios podem ser reciclados. Na prática isso acaba não acontecendo, pois é justamente nos domicílios onde ocorre a contaminação dos resíduos recicláveis. Falamos em contaminação dos recicláveis quando estes estão misturados principalmente com resíduos orgânicos. Contudo a contaminação também pode acontecer quando não se pode extrair de uma mistura, um resíduo puro.

Quais os tipos de resíduos sólidos orgânicos?

Para fazer a classificação dos resíduos orgânicos resíduos é preciso definir inicialmente o critério. Vejamos alguns exemplos de classificação dos tipos de lixo orgânico:

  • De origem animal ou vegetal
  • Gerados na zona rural ou zona urbana
  • De cadeia molecular curta ou longa
  • Domiciliares ou industriais
  • Entre outros.

Para este tópico vamos focar em três tipos de resíduos gerados nas cidades:

  • Resíduos Verdes: Resultantes do serviço de limpeza urbana (apara de gramas, podas de árvores, …)
  • Restos de alimentos: Resíduos orgânicos de restaurantes, feiras, shopping centers, … compostos geralmente de restos de alimentos de origem animal e vegetal
  • Resíduos Orgânicos Industriais: gerados em indústrias de abate de animais e indústria alimentícia

Que tipo de resíduos orgânicos pode ser tratado em biodigestores?

Em Biodigestores, os resíduos sólidos orgânicos se transformam em biogás e biofertilizantes. O Biogás pode ser convertido em energia térmica e elétrica e tem alto valor de mercado. Os biofertilizantes são importante não somente em países com tradição agrícola, mas a qualquer um que quer desenvolver o agronegócio.

Biodigestores anaeróbios são a solução perfeita para o tratamento de resíduos sólidos orgânicos. Podem ser construídos praticamente em qualquer tamanho e também para fins de produção de biofertilizantes ou de energia.

Os biodigestores podem perfeitamente ser utilizados como estratégias sustentáveis para gestão dos resíduos produzidos por restaurantes e feiras de alimentos. Para este caso temos dois exemplos:

O biodigestor de Marl pertence a empresa Refood que é especialista nesta tecnologia. Ele processa entre 200 e 300 toneladas de RSO por dia e sua potência elétrica varias entre 2 e 3 MW em função da quantidade de RSO fornecido diariamente. A empresa investiu pesado em tecnologia e aperfeiçoamento e hoje é exemplo neste tratamento. Essa central emprega mais de 120 pessoas diretamente e possui uma frota de mais de 40 caminhões coletores de RSO que são responsáveis pela coleta de vários supermercados, restaurantes, feiras … em um raio de 150 km. O princípio de responsabilidade compartilhada é amplamente usado na Alemanha, por isso, os geradores de resíduos orgânicos dessa região encontram na empresa Refood uma solução para seus problemas.

O Projeto de Compostagem Biodigestor de Resíduos Urbanos de Erkheim une as tecnologias de biodigestão anaeróbia e compostagem. Com isso consegue tratar os resíduos orgânicos domiciliares, de restaurantes, supermercado e também resíduos verdes.

Resíduos orgânicos industriais de abatedouros possuem composição química muito rica em nutrientes. Apesar de poder ser processadas em biodigestores, gorduras e proteínas podem ser extraídas e vendidas com valor mais agregado. Um bom exemplo disso é a Usina de tratamento de resíduos animais da empresa SARVAL acoplada ao biodigestor de Marl.

Que resíduos não devem ser tratados em biodigestores?

A princípio, qualquer resíduo orgânico pode ser tratado em um biodigestor. Contudo, a depender da composição química da matéria orgânica, o processo de biodigestão pode ser prejudicado e pouco eficiente.

A experiência com biodigestores nos mostra alguns casos interessantes. Vejamos alguns casos:

Os resíduos verdes de podas de árvore possuem em sua composição basicamente celulose e lignina. A lignina é a substância que envolve a celulose e mantendo uma estrutura molecular estável para uma árvore crescer. Com isso, o acesso a celulose fica prejudicado. A não ser que haja um tratamento prévio eficaz, resíduos verdes não são indicados como substratos para biodigestores.

Escamas de peixe não são digeridas e podem causar entupimento nas tubulações. Resíduos com alta concentração de trigo e semelhantes, podem formam um substrato de alta viscosidade e prejudicar o trânsito das bactérias.

Como trabalhar nessa com biodigestores para o tratamento de resíduos orgânicos?

O Profissional dessa área precisa ser um conhecedor da legislação ambiental. Além disso, você precisa ter noções sobre o setor do agronegócio e do mercado de energias. Para dimensionar biodigestores com tecnologia alemã, é preciso saber dimensionar e estimar o valor de investimento do projeto.

A especialização é a sua chave para fugir da concorrência. você pode ser um profissional reconhecido no mercado, sem ter que esperar tanto tempo e ficar velho por isso.

O Curso Online de elaboração de PLANO DE NEGÓCIO PARA BIODIGESTORES criado pelo Prof. Gleysson B. Machado é único. O curso foi elaborado diretamente da Alemanha, onde vive o professor. Todo o trabalho é prático e segue o mesmo princípio das grandes empresas de biogás na Alemanha. O curso já é visto por profissionais da área como o melhor do mercado em sua categoria.

Palavras-Chave: resíduos orgânicos, gestão de resíduos orgânicos, tipos de resíduos orgânicos, gerenciamento de resíduos orgânicos, resíduos sólidos, resíduos orgânicos de restaurantes, resíduos orgânicos classificação, estratégias sustentáveis para gestão dos resíduos produzidos pelo restaurante, lixo orgânico e inorgânico, lixo orgânico reciclagem, para que serve o lixo orgânico, o que fazer com o lixo orgânico, lixo orgânico e reciclável, lixo orgânico desenho, destino do lixo orgânico, lixo orgânico símbolo

Share this:
Tags:

About gleysson

gleysson

Sou especialista em transformar problemas ambientais em negócios sustentáveis. Formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios

  • LinkedIn
  • Email

Add Comment