fbpx
outubro 9, 2013
0
||||| 0 |||||
951

Como medir a qualidade de Planos de Gerenciamento de Resíduos

O sucesso de um PGRS dependerá da sua qualidade

Conheça como elaborar um plano de gerenciamento de resíduos sólidos com a qualidade desejável.

Quem define o modelo dos PGRS? Como medir a qualidade de Planos de Gerenciamento de Resíduos? Não perca mais as oportunidades que estão ao seu redor. Invista no seu futuro profissional.  

A PNRS exige que todos os municípios brasileiros, assim como as milhares de empresas no Brasil elaborem seus devidos PGRS. Alguns municípios brasileiros já começaram o trabalho e outros já até concluíram, mas a grande parte ainda nem começou. A quem ou ao quê, podemos atribuir essa defasagem na elaboração dos PGRS? Será que é pela falta do interesse público, de recursos ou pela falta de profissionais qualificado para isso?

O atual cenário dos resíduos sólidos no Brasil promete altos investimentos no setor. Isso porque, há uma necessidade gigantesca de mudar essa realidade. Profissionais capacitados nessa área, conseguem visualizar as soluções que os gestores empresariais e municipais, não conseguem perceber. Você tem interesse em atuar nessa área? Sabe como elaborar um plano de gerenciamento de resíduos? Veja que as oportunidades são imensas! Aprofunde seus conhecimentos sobre a ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS e garanta seu sucesso. Invista nos seus sonhos e ganhe o seu reconhecimento profissional nesse mercado.

Quem define o modelo dos PGRS?

Não existe um modelo padrão do PGRS, mas sim uma exigência de conteúdo mínimo que deve ser abordado nesse documento. A PNRS define haja a identificação tipológica e quantitativa dos resíduos, assim como a forma correta do seu manejo. A maneira como esses planos devem ser feitos, seja para o município ou para a empresa, é definida pela PNRS.

Como medir a qualidade de Planos de Gerenciamento de Resíduos?

Como a PNRS se baseia em políticas e tecnologias internacionais, os planos apresentados terão também que ter qualidade internacional. Diante disso, é válido questionar: Quanto tempo mais você vai precisar para decidir investir no seu próprio desenvolvimento? Mas afinal de contas, como saber se um plano foi bem elaborado ou não? Qual a melhor tecnologia? Qual o melhor método? Como medir a qualidade de Planos de Gerenciamento de Resíduos? Apesar de parecer algo complicado, a resposta a essas perguntas é simples. Um Plano de Gerenciamento “bom” é aquele que cumpre todas as exigências mínimas estabelecidas por lei. Um Plano “ótimo” é aquele que vai além das exigências, oferecendo soluções modernas e inovadoras.

É importante entender que Planos bem elaborados podem ATRAIR INVESTIDORES NACIONAIS OU INTERNACIONAIS AS CIDADES. Para isso, é necessário oferecer políticas claras de Gerenciamento de Resíduos. O Brasil possui um imenso potencial neste setor. Implementar programas e construir centrais em todas as cidades brasileiras, é uma tendência que está a se desenvolver no Brasil.

Veja no vídeo abaixo uma explicação sobre o tema:

Entenda o setor de Resíduos e saiba como aproveitar as melhores oportunidades conhecendo a GESTÃO E GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Lembre-se que o conhecimento é a única coisa que lhe separa dos seus sonhos.

 

Share this:
Tags:

About Gleysson B. Machado

Gleysson B. Machado

Sou especialista em transformar problemas ambientais em negócios sustentáveis. Formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios

  • Instagram
  • LinkedIn
  • Email

Add Comment