DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE REJEITOS

A disposição final ambientalmente adequada de rejeitos é essencial para proteger o meio ambiente e a saúde pública. Evita a contaminação do solo, da água e do ar, reduzindo os impactos negativos nos ecossistemas. Além disso, contribui para a mitigação das mudanças climáticas ao controlar as emissões de gases de efeito estufa.
O que é a Disposição Final Ambientalmente Adequada de Rejeitos? Quais as formas de disposição final de resíduos sólidos? Quais as consequências da disposição inadequada de rejeitos? Quais os benefícios da disposição final ambientalmente adequada de rejeitos? Em 5 minutos você saberá

COMPARTILHE

A falta de disposição final ambientalmente adequada de rejeitos pode causar sérios problemas ambientais e de saúde pública. A disposição irregular de rejeitos pode causar a contaminação de solos, cursos d’água e lençóis freáticos, além de doenças como dengue, leishmaniose, leptospirose e esquistossomose, entre outras, cujos vetores encontram nos lixões um ambiente propício para sua disseminação.

No Brasil, de acordo com o SINIR(2016), 59,17% dos municípios não têm Destinação Final Ambiental Adequada de Rejeitos. Isso nos remete a um quadro de total descaso com a gestão dos resíduos a nível nacional. Destes 10,84% ainda mantêm lixões ativos, estamos muito atrasados com o prazo da PNRS para a extinção dos mesmo. E no fim das contas quem sofre é o meio ambiente, colocando em xeque a saúde da população.

Os lixões à céu aberto são uma forma ultrapassada e prejudicial de disposição de resíduos. Eles poluem o meio ambiente, causam danos à fauna e à flora, além de serem focos de doenças e riscos à saúde humana. É essencial adotar medidas para acabar com os lixões, investindo em soluções modernas e ambientalmente responsáveis.
Os lixões à céu aberto representam uma ameaça séria ao meio ambiente e à saúde pública. É urgente acabar com essa prática, pois os lixões contaminam o solo, a água e o ar, além de atrair vetores e disseminar doenças. É necessário investir em alternativas sustentáveis, como aterros sanitários e sistemas de reciclagem eficientes.

Deve-se seguir a risca o PMGIRS, o quais norteiam a gestão dos resíduos sólidos a nível municipal. Deve-se colocar em prática as ações definidas no plano. Deve-se estabelecer acordos setoriais para a instalação de aterros sanitários acompanhado da construção de centrais de triagem. Para assim, permitir ao máximo o aproveitamento do lixo, separando os resíduos do rejeito. Dessa forma, cria-se o mercado regional de resíduos sólidos ao passo que tem-se a destinação final ambientalmente adequada de rejeitos.

O que é a Disposição Final ambientalmente adequada de rejeitos?

A Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS no seu Art. 3° define a Disposição Final ambientalmente adequada da seguinte maneira:

Lei 12.305/2010 Art. 3° Inciso VII – Disposição Final ambientalmente adequada: distribuição ordenada de rejeitos em aterros, observando normas operacionais específicas de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos; (Título I – Capítulo II – Parágrafo VIII)

A Disposição Final ambientalmente adequada de rejeitos busca garantir o tratamento adequado e seguro dos resíduos, reduzindo os riscos de contaminação e poluição. Isso envolve a utilização de aterros sanitários projetados de acordo com normas técnicas, implementação de sistemas de controle de gases e lixiviados, além da promoção de práticas de reciclagem e reutilização.
A Disposição Final ambientalmente adequada de rejeitos refere-se a práticas seguras e sustentáveis de descarte de resíduos. Envolve a utilização de tecnologias e técnicas adequadas para minimizar os impactos negativos no meio ambiente, evitando a contaminação do solo, da água e do ar. O objetivo é proteger a saúde pública e preservar os recursos naturais.

As formas mais conhecidas de disposição final de resíduos são o Aterro Sanitário, Aterro Controlado e Lixão a céu aberto. No Brasil a única forma ainda permitida por Lei é o Aterro Sanitário.

Lei 12.305/2010 Art. 9o  Na gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, deve ser observada a seguinte ordem de prioridade: não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento dos resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos.

1o  Poderão ser utilizadas tecnologias visando à recuperação energética dos resíduos sólidos urbanos, desde que tenha sido comprovada sua viabilidade técnica e ambiental e com a implantação de programa de monitoramento de emissão de gases tóxicos aprovado pelo órgão ambiental.

  • 2o  A Política Nacional de Resíduos Sólidos e as Políticas de Resíduos Sólidos dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios serão compatíveis com o disposto no caput e no § 1o deste artigo e com as demais diretrizes estabelecidas nesta Lei.” 

Não confunda Destinação com Disposição Final Ambientalmente Adequada…

A Disposição Final Ambientalmente Adequada de Rejeitos deve ser feita somente para resíduos que não são mais passíveis de tratamento. Ou seja, para os rejeitos que não seja possível outro tipo de destinação a não ser a disposição em aterros. A disposição final não pode ser confundida com a destinação final. Veja o conceito de destinação final segundo a PNRS.

A reciclagem é um exemplo de destinação final ambientalmente adequada, pois permite a transformação de resíduos em novos produtos ou matérias-primas. Reduz a extração de recursos naturais, economiza energia e evita a contaminação do solo e da água. É uma prática essencial para promover a economia circular e a sustentabilidade.
A reciclagem é uma forma eficiente e ambientalmente correta de destinação final de resíduos. Ao separar e reciclar materiais como papel, plástico, vidro e metal, reduz-se a demanda por matérias-primas virgens, economiza-se energia e reduz-se a quantidade de resíduos destinados a aterros. É uma contribuição direta para a preservação do meio ambiente.

Lei 12.305/2010 Art. 3° Inciso VI – Destinação Final ambientalmente adequada: destinação de resíduos que inclui a reutilização, a reciclagem, a compostagem, a recuperação e o aproveitamento energético ou outras destinações admitidas pelos órgãos competentes do Sisnama, do SNVS e do Suasa, entre elas a disposição final, observando normas operacionais específicas de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos; (Título I – Capítulo II – Parágrafo VII).

Quais as formas de disposição final de resíduos sólidos? 

As principais formas de disposição final de resíduos sólidos são o lixão, o aterro controlado e o aterro sanitário. Vou fornecer uma breve descrição de cada um deles:

  • Lixão: É uma forma inadequada e não controlada de disposição de resíduos. Nesse método, os resíduos são simplesmente despejados em áreas abertas, sem qualquer tratamento ou cobertura adequada. Isso resulta na contaminação do solo, da água e do ar, além de atrair vetores como insetos e roedores. Os lixões representam um risco para a saúde pública e o meio ambiente.
  • Aterro controlado: É uma forma intermediária de disposição de resíduos. No aterro controlado, os resíduos são dispostos em áreas designadas, geralmente cobertas com uma camada de solo, mas sem seguir todos os critérios técnicos e ambientais exigidos para um aterro sanitário. Embora seja melhor do que um lixão, ainda apresenta riscos ambientais e sanitários significativos.
  • Aterro sanitário: É o método mais comum e recomendado atualmente para a disposição final de resíduos sólidos. Os resíduos são depositados em camadas no solo, seguindo técnicas e critérios rigorosos de engenharia e controle ambiental. Os aterros sanitários são projetados para reduzir a contaminação do solo, da água e do ar, além de minimizar odores e atrair vetores. São implementadas medidas de impermeabilização, drenagem de líquidos, coleta e tratamento de gases gerados pelos resíduos.

É importante ressaltar que tanto o lixão quanto o aterro controlado são formas inadequadas de disposição de resíduos e representam riscos significativos para o meio ambiente e a saúde pública.

O aterro controlado é uma forma inadequada de disposição de rejeitos. Apesar de possuir alguma infraestrutura básica, ainda carece dos cuidados e técnicas necessários para garantir a proteção ambiental. A contaminação do solo, da água e do ar continua sendo um risco, assim como a proliferação de vetores e doenças. É fundamental buscar alternativas mais seguras e sustentáveis.
O aterro controlado é considerado uma opção intermediária, mas ainda insatisfatória, para a disposição de rejeitos. A falta de medidas adequadas de impermeabilização, coleta de gases e controle de poluição coloca o meio ambiente em risco. A contaminação dos recursos naturais e os impactos negativos na saúde pública são consequências graves dessa prática.

O ideal é promover a transição para aterros sanitários adequados, além de buscar alternativas mais sustentáveis, como a reciclagem, a compostagem e a redução na geração de resíduos.

Quais as consequências da disposição inadequada de rejeitos?

A falta de disposição final ambientalmente adequada de rejeitos pode resultar em sérios problemas de saúde. A contaminação do solo, da água e do ar por substâncias tóxicas e patógenos pode levar ao surgimento de doenças respiratórias, gastrointestinais, dermatológicas e até mesmo câncer. É fundamental garantir uma gestão adequada dos resíduos para proteger a saúde pública.
A disposição inadequada de rejeitos contribui para a disseminação de doenças e infecções. A presença de vetores, como mosquitos e roedores, em áreas de descarte inadequado aumenta o risco de transmissão de doenças como dengue, febre amarela, leptospirose e hantavirose. A falta de tratamento dos resíduos pode ter consequências graves para a saúde das comunidades afetadas.

A disposição inadequada de rejeitos pode ter várias consequências negativas significativas para o meio ambiente, a saúde pública e a qualidade de vida das comunidades. Aqui estão algumas das principais consequências:

  • Contaminação do solo: Os rejeitos depositados de forma inadequada podem contaminar o solo com substâncias tóxicas e poluentes. Isso pode comprometer a fertilidade do solo, prejudicando a agricultura e a vegetação. A contaminação também pode atingir lençóis freáticos e aquíferos, afetando a disponibilidade de água potável.
  • Poluição da água: A disposição inadequada de rejeitos pode resultar na contaminação de corpos d’água, como rios, lagos e aquíferos subterrâneos. Os resíduos podem liberar substâncias químicas perigosas e poluentes, causando danos à fauna e à flora aquática e comprometendo a qualidade da água para consumo humano e uso industrial.
  • Emissão de gases de efeito estufa: A decomposição anaeróbica de resíduos orgânicos em aterros inadequados pode levar à produção de gases de efeito estufa, como metano (CH4), um potente contribuinte para o aquecimento global. O metano é um gás de efeito estufa muito mais poderoso do que o dióxido de carbono (CO2), contribuindo para a mudança climática.
  • Riscos à saúde pública: A disposição inadequada de rejeitos cria condições propícias para a proliferação de vetores e patógenos. Roedores, insetos e animais contaminados podem disseminar doenças para as comunidades vizinhas. Além disso, a contaminação do ar, água e solo por substâncias químicas perigosas pode levar a problemas de saúde, incluindo distúrbios respiratórios, doenças de pele, câncer e outros efeitos adversos.
  • Impactos estéticos e sociais: Lixões e aterros controlados inadequados podem ter um impacto visual desagradável na paisagem, causando uma sensação de degradação e poluição. Isso pode afetar negativamente o turismo, o desenvolvimento econômico local e a qualidade de vida das comunidades próximas.

Para evitar essas consequências negativas, é essencial adotar práticas adequadas de gestão de resíduos, como a implementação de aterros sanitários adequados, a promoção da reciclagem, a compostagem e a conscientização sobre a redução da geração de resíduos. 

Quais os benefícios da disposição final ambientalmente adequada de rejeitos? 

A disposição final ambientalmente adequada de rejeitos traz uma série de benefícios importantes para o meio ambiente, a saúde pública e a sociedade em geral. Aqui estão alguns dos principais benefícios:

  • Proteção do meio ambiente: A disposição final adequada de rejeitos evita a contaminação do solo, da água e do ar. Isso contribui para a preservação dos ecossistemas, a conservação da biodiversidade e a manutenção da saúde dos ecossistemas naturais.
  • Prevenção da poluição da água: Ao utilizar métodos adequados de disposição final, é possível evitar a contaminação de corpos d’água, como rios, lagos e aquíferos. Isso protege a qualidade da água e mantém os recursos hídricos disponíveis para consumo humano, agricultura, recreação e vida aquática.
  • Redução das emissões de gases de efeito estufa: A disposição adequada de rejeitos, especialmente por meio de aterros sanitários bem projetados, permite capturar e tratar os gases de efeito estufa produzidos durante a decomposição dos resíduos. Isso ajuda a reduzir as emissões de gases como metano, contribuindo para mitigar as mudanças climáticas.
  • Promoção da saúde pública: A disposição adequada de rejeitos evita a proliferação de vetores, como insetos e roedores, que podem transmitir doenças para as comunidades vizinhas. Além disso, ao evitar a contaminação do ar, água e solo, reduzem-se os riscos de problemas de saúde associados à exposição a substâncias tóxicas e poluentes.
  • Uso sustentável dos recursos: A disposição adequada de rejeitos é parte de uma abordagem mais ampla de gestão de resíduos que inclui a redução, a reutilização e a reciclagem. Isso promove a conservação de recursos naturais, evita o esgotamento de matérias-primas e reduz a necessidade de extrair novos recursos do ambiente.
  • Melhoria da qualidade de vida: A disposição adequada de rejeitos, como a implementação de aterros sanitários, contribui para a melhoria da qualidade de vida das comunidades. Isso inclui a redução de odores desagradáveis, a prevenção de doenças relacionadas a resíduos e a melhoria da estética e do ambiente social.

Dessa forma, a disposição final ambientalmente adequada de rejeitos é essencial para proteger o meio ambiente, preservar a saúde pública e promover a sustentabilidade.

A disposição final ambientalmente adequada de rejeitos contribui diretamente para a melhoria da qualidade de vida das comunidades. Ao evitar a contaminação do solo, da água e do ar, garante-se um ambiente mais saudável e seguro para se viver. Isso resulta em menor incidência de doenças, maior bem-estar e uma melhor qualidade de vida em geral.
A implementação de uma disposição final adequada de rejeitos, como a construção de aterros sanitários e a promoção da reciclagem, tem um impacto positivo na qualidade de vida das pessoas. Reduz a poluição visual, odores desagradáveis e a presença de vetores, criando ambientes mais agradáveis e saudáveis para se viver. Além disso, a gestão adequada de resíduos promove a conservação dos recursos naturais, contribuindo para uma maior sustentabilidade.

Ela contribui para um futuro mais limpo, saudável e equilibrado para as gerações presentes e futuras.

Como se preparar para trabalhar e fazer carreira no setor de resíduos sólidos

Para se preparar para trabalhar e fazer carreira no setor de resíduos sólidos, é importante adquirir conhecimentos técnicos, habilidades específicas e compreender a legislação e regulamentações relacionadas a esse campo. O curso “Gestão e Gerenciamento Internacional de Resíduos Sólidos” oferecido pela Virapuru Training Center pode ser uma opção valiosa para alcançar esses objetivos.

O curso aborda três áreas essenciais para a gestão de resíduos sólidos:

  • Legislação Global sobre Resíduos Sólidos: Compreender a legislação e regulamentações é fundamental para atuar no setor de resíduos sólidos. O curso aborda as principais diretrizes internacionais, acordos e políticas relacionadas à gestão de resíduos sólidos, permitindo que os participantes adquiram conhecimentos sobre as melhores práticas e requisitos legais globais.
  • Formas de Tratamento de Resíduos Sólidos: O curso explora diversas tecnologias e métodos de tratamento de resíduos sólidos, incluindo aterros sanitários, incineração, compostagem, reciclagem e outras soluções inovadoras. Compreender as diferentes opções de tratamento permite aos participantes avaliar as alternativas mais adequadas e sustentáveis para a gestão de resíduos em diferentes contextos.
  • Mercado de Resíduos Sólidos e Viabilidade Econômica das Soluções: O curso aborda as dinâmicas do mercado de resíduos sólidos, incluindo tendências, oportunidades de negócios e aspectos econômicos relacionados à gestão de resíduos. Os participantes aprendem sobre modelos de negócios, viabilidade financeira e estratégias para promover soluções sustentáveis e economicamente viáveis.

Participar deste curso pode fornecer uma base sólida de conhecimentos e habilidades para ingressar no setor de resíduos sólidos. Os participantes terão uma compreensão aprofundada das melhores práticas, regulamentações globais, tecnologias de tratamento e aspectos econômicos do setor. Isso pode ser uma vantagem competitiva ao buscar oportunidades de trabalho e construir uma carreira no campo da gestão de resíduos sólidos.

Pessoas que trabalham em áreas ambientais encontram felicidade e realização por poderem contribuir diretamente para a proteção do meio ambiente e a sustentabilidade do planeta. Eles se sentem motivados e inspirados ao fazerem a diferença e verem os resultados positivos de seu trabalho na preservação da natureza e na qualidade de vida das pessoas.
A satisfação e a felicidade são comuns entre aqueles que trabalham em áreas ambientais, pois eles estão alinhados com seus valores pessoais e têm a oportunidade de trabalhar em prol de causas significativas. Eles sentem uma conexão profunda com o meio ambiente, encontrando propósito e realização ao proteger a natureza e promover a conscientização sobre questões ambientais.

Além disso, a Virapuru Training Center pode oferecer recursos adicionais, como networking com profissionais experientes, acesso a materiais atualizados e suporte contínuo para aprimorar as habilidades e conhecimentos adquiridos no curso.

É importante lembrar que a formação contínua e a atualização constante sobre as mudanças no setor de resíduos sólidos são essenciais para uma carreira de sucesso. Manter-se informado sobre as inovações tecnológicas, tendências de mercado e desenvolvimentos regulatórios é fundamental para se destacar nesse campo em constante evolução.

Descubra o mundo da gestão de resíduos com a VirapuruFlix! Acesse cursos e mentorias exclusivos sobre reciclagem, tratamento de resíduos e sustentabilidade. Ideal para empresários e ambientalistas que buscam inovar e liderar no mercado verde.
Amplie seu conhecimento em resíduos sólidos com a VirapuruFlix. Com conteúdo técnico avançado, é perfeito para acadêmicos e profissionais do setor ambiental. Assine e mantenha-se atualizado com as melhores práticas e tecnologias!
Gleysson B. Machado

Gleysson B. Machado

Sou especialista em transformar problemas ambientais em negócios sustentáveis. Formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios
Agora é a sua vez. Você acha que consegue contribuir com o conteúdo acima? Deixe seu comentário!

NOSSOS CURSOS

LEIA TAMBÉM

GGIRS 3P
Gleysson B. Machado

Tratamento de resíduos de serviços de saúde

Quais são requisitos mínimos exigidos para o tratamento de resíduos de serviços de saúde? Quais são os tipos de tratamento de resíduos de serviços de saúde? Como funciona a incineração de lixo hospitalar? Como funciona o processo de pirólise dos resíduos hospitalares? Como funciona um autoclave hospitalar? Como funciona o microondas de serviços de saúde? Como funciona a Radiação Ionizante de lixo hospitalar? Como é a Desativação Eletrotérmica de resíduos hospitalares? Como funciona o Tratamento Químico de resíduos do serviço de saúde? Descubra a seguir  quais são os principais tratamentos para os RSS…

veja Mais »
Indústrias do orgânicos
Gleysson B. Machado

A USINA DE COMPOSTAGEM DE BREMEN NA ALEMANHA

O que é e pra que serve uma usina de compostagem? Como ganhar dinheiro com usinas de compostagem? O que você precisa saber sobre a empresa que investiu na usina de compostagem de Bremen na Alemanha? Como funciona a usina de compostagem de Bremen na Alemanha? Tipos de tecnologias utilizadas para a compostagem de resíduos orgânicos. Certificação e controle de qualidade do processo e Como obter ajuda para montar seu projeto de usina de compostagem.

veja Mais »