FALTA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS MULTIPLICA PREJUÍZOS PARA TODA A SOCIEDADE

O que a falta de gestão e gerenciamento de resíduos tem haver com problemas socioambientais? 3 problemas comuns causados pela falta de saneamento. Como a ausência da gestão e gerenciamento de resíduos afeta a produtividade e a economia? Como resolver tantos problemas?

O Fórum Nacional Lixo e Cidadania da Unicef considera que as questões relacionadas ao saneamento ambiental não são tratadas com a devida urgência. Principalmente quando se refere à coleta e destinação adequada dos resíduos. Por isso é contínuo o descarte de lixo em nascentes, córregos, margens de rios, estradas e vários outros locais impróprios.

Banaliza-se os graves problemas ambientais, sociais, econômicos e de saúde pública desencadeados pela falta de gestão e gerenciamento dos resíduos. Com isso, os prejuízos se multiplicam e se acumulam em todos os setores.

O que a falta de gestão e gerenciamento de resíduos tem haver com problemas socioambientais?

A Unicef observa que a catação de lixo por seres humanos, é “regra geral” de norte a sul do Brasil e em outros países menos desenvolvidos. A poluição de mananciais, contaminação da água e do solo, assim como a extinção de biomas inteiros, comuns mundo afora, apelam para uma consciência proativa na geração, gestão e gerenciamento de resíduos sólidos.

Você quer trabalhar ou empreender no setor de resíduos mas não sabe por onde começar? Boas notícias! Não precisa fazer faculdade! Este curso foi feito pra você!
Pessoas garimpando lixo como formigas arrastando restos
Qualquer pessoa com conhecimento e empreendedorismo ambiental pode ajudar a extinguir esta cena vergonhosa para a sociedade

Independente do tamanho da cidade, pessoas de várias idades, gênero e raça, como formigas, vão e vêm todos os dias numa busca desesperada por sobrevivência. Esta situação escancara também a miséria, o desemprego e a falta de empreendedorismo ambiental no processo de gerenciamento e destinação adequada dos resíduos.

Os distúrbios ambientais estão mostrando a profundidade dos danos causados pela irresponsabilidade no consumo e no descarte dos rejeitos. A saturação dos depósitos destes resíduos, fez surgir problemas graves que exigem soluções práticas com respostas imediatas e sustentáveis. E não adianta tentar fugir!

Nós, sociedade, somos responsáveis pela problemática do lixo e cabe a nós resolvê-la. As consequências que todos enfrentamos atualmente, enchentes, incêndios, furacões, entre tantos outros fenômenos, apelam para medidas urgentes onde a responsabilidade compartilhada gere empreendimentos que dinamizem gestão integrada.

3 problemas comuns causados pela falta de saneamento

AMEAÇA À SAÚDE PÚBLICA
65% das internações hospitalares em crianças menores de 10 anos estão ligadas à falta de saneamento. As doenças mais comuns são: Leptospirose, Disenteria Bacteriana, Esquistossomose, Febre Tifóide, Cólera, Parasitóides, além do agravamento das epidemias como a Dengue.

A falta de gerenciamento de resíduos promove sérios danos à economia, à sociedade e representa uma ameaçã a todo tio de vida Segundo um estudo realizado pela ONG SOS Mata Atlântica em 111 rios brasileiros, quase 24% das águas são de qualidade ruim ou péssima para o consumo.

  1. DESIGUALDADE SOCIAL
    Os impactos da falta de gerenciamento de resíduos são alarmantes: esgotos correndo a céu aberto e lixo doméstico frequentemente jogado nos rios sem qualquer tratamento. Este cenário contribui tanto para a proliferação de doenças quanto para a desigualdade social.
  2. POLUIÇÃO AMBIENTAL
    O crescimento industrial, assim como o crescimento populacional, também contribui para a poluição hídrica. Muitas empresas burlam a legislação e lançam resíduos industriais nas águas sem nenhum tratamento. Com isso, tem-se uma quantidade absurda de águas poluídas e constantes alagamentos.

Como a ausência de gerenciamento de resíduos afeta a produtividade e a economia?

Um estudo em parceria com o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) denominado “Benefícios Econômicos da Expansão do Saneamento Brasileiro”, aponta perda de produtividade e renda devido à falta de saneamento básico.

O acesso ao saneamento básico melhora a saúde, evita doenças, mortes e amplia oportunidades econômicas e aumenta a produtividade. Segundo a pesquisa, a renda per capita do Brasil aumentaria em 6% se todos os brasileiros tivessem acesso aos serviços básicos.

O Brasil também deixa de faturar, em média, R$8 bilhões por ano. Estes dados são do Relatório do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O gargalo que drena este dinheiro está na infinidade de materiais recicláveis que acabam nos aterros, lixões e locais inadequados.

É urgente fazer o manejo dos resíduos e devolvendo-os à cadeia produtiva através da reutilização, reciclagem e também aproveitamento energético do lixo orgânico. Isto pode ser feito a partir de empreendimentos ambientais e projetos de gestão e gerenciamento de resíduos inteligentes e eficazes. Mas infelizmente, faltam profissionais qualificados e com visão empreendedora do vasto mercado de resíduos.

Não existe outro caminho para erradicar a miséria, a poluição e reverter os danos ambientais se não um projeto empreendedor de gerenciamento de resíduos sólidos
O remédio para esta degradação ambiental e social é o gerenciamento de resíduos com empreendedorismo ambiental

Como resolver tantos problemas?

Sem dúvidas, em um país continental como o Brasil, é impossível um único projeto de gestão e gerenciamento de resíduos ser viável a todas as regiões. Porém, é fundamental que cada cidadã e cidadão, bem como gestores públicos e setor privado se unam para traçar o plano ideal para seus municípios.

Para devolver os resíduos ao ciclo produtivo e de consumo, e fazer do lixo dinheiro, é preciso antes de qualquer coisa, conhecer a realidade de cada região. Porém, em todas elas, o projeto de gerenciamento de resíduos deve estimular a formação de uma cadeia econômica de produção.

A gestão integrada com capital, tecnologia, mão-de-obra, transporte e políticas públicas é o caminho. Pois é preciso abrir espaço e absorver pessoas que se alimentam dos restos estragados do lixo e lançá-las na oportunidade de produzir renda a partir da comercialização de produtos descartados. Apenas esta ação, já desenvolve uma parte da economia promovendo dignidade.

Em um momento de escassez de recursos financeiros e falta de vontade política, são necessários conhecimento, empreendedorismo e iniciativas coletivas. Buscar capacitação e especialização em negócios no mercado de resíduos sólidos é uma decisão que todos deveriam tomar. Porém é uma oportunidade que poucos conseguem enxergar.

Dê sua opinião, comente aqui embaixo: Você consegue ver oportunidades de negócios lucrativos no lixo?

Esse conteúdo precisa alcançar mais pessoas. Compartilhe!

Agora é a sua vez. Você acha que consegue contribuir com o conteúdo acima? Deixe seu comentário!

Não pare agora, continue lendo