fbpx
maio 23, 2014
0
||||| 0 |||||
1388

Gravimetria dos resíduos sólidos de Jambeiro-SP

Descubra a importância da Gravimetria e o seu potencial para a criação de negócios com resíduos sólidos.

Como se deu o estudo da Gravimetria dos resíduos sólidos de Jambeiro? Qual a sua importância para os negócios com resíduos sólidos?

O cenário de acúmulo e disposição irregular de lixo é replicado quase em todo o território nacional. Embora a legislação proíba tais práticas e estabeleça punições severas, a sua aplicação vem se mostrando bastante ineficaz. Então é comum vermos a manutenção de lixões, lixo espalhado nas vias públicas, entulhos em terrenos baldios e etc. Assim as consequências diretas dessas ações impactam profundamente o meio ambiente, a saúde e a segurança da população. Situações como essa não são nada favoráveis ao meio ambiente, principalmente para a criação de negócios a partir dos resíduos. Assumindo o papel de consultor(a) ambiental, você já refletiu quais seriam as saídas para esse problema? Nós do Portal Resíduos Sólidos vamos te contar uma dica quente, se segure na cadeira!

Em dois passos é possível reverter esse quadro caótico de poluição no seu município. O primeiro é o mapeamento dos empreendimentos geradores, bem como das empresas que trabalham com a destinação de resíduos sólidos. Assim cria-se o elo de ligação entre gerador e destinador. Já o segundo, e não menos importante, é o estudo da Gravimetria dos resíduos. Por meio desse levantamento é possível fazer uma análise quantitativa e qualitativa dos resíduos sólidos. Dessa maneira se cria o ambiente propício para a implantação de projetos de centrais de triagem, usinas de reciclagem, biodigestores, etc. Mas como fazer a gravimetria de um município?

Todos os dias, sob todos os aspectos, eu estou cada vez melhor.” Émile Coué

Se inspire ao ver como Cristiane Biacchi desenvolveu o DIAGNÓSTICO DE RESÍDUOS SÓLIDOS – GRAVIMETRIA do município de Jambeiro-SP.

Gravimetria dos resíduos sólidos de Jambeiro-SP

O presente estudo tem como objetivo realizar a quantificação e a caracterização física dos resíduos sólidos gerados em Jambeiro-SP. E assim conhecer os tipos de resíduos gerados para que futuramente sirva de orientação para um diagnóstico eficaz. Ou ainda como material de apoio à elaboração dos planos de gerenciamentos dos resíduos sólidos. Além de identificar as possíveis soluções técnicas mais adequadas para a realidade deste. Ou seja, implantação de uma central de reciclagem ou de tratamento de resíduos sólidos orgânicos.

A metodologia utilizada para a Gravimetria dos resíduos sólidos de Jambeiro-SP foi de adaptação de destino final. Dessa forma, a partir dos resultados obtidos foi possível identificar os problemas referentes à gestão de resíduos sólidos. Como também propor soluções viáveis ao aproveitamento eficaz dos materiais recicláveis produzidos por este Município.

Abstract

The present study aims to conduct a lesser extent the physical characterization of municipal solid waste generated in the City of Jambeiro and thus know the types of waste that are produced by this city so that future guidance for effective diagnosis or as collateral the preparation of the plan managements of municipal solid waste. In addition to identifying the most appropriate technical solutions possible to the reality of this, ie, implementation of a central recycling or treatment of organic solid waste.

The methodology used for gravimetric analysis was adaptation of final destination and from the results it was possible to identify the problems related to solid waste management and propose viable solution to efficient use of recyclable materials produced by this Municipality.

Introdução

Consumismo

A sociedade contemporânea é movida pelo consumo. O indivíduo é valorizado por aquilo que consome e usa. As crianças, por exemplo, estão crescendo consumistas, pois são influenciadas por comerciais, como exemplo, no caso de brinquedos. E logo depois de pouco tempo os brinquedos mudam e os desejos também.

Isso também acontece com os adultos que hoje querem uma TV de 42 polegadas, mas amanhã vão querer os aparelhos mais modernos. Muitas vezes o consumo satisfaz na hora, mas essa satisfação dura pouco.

Esse tipo de atitude faz com que aumente a produção de lixo, muitos produtos podem ser reutilizados por outras pessoas. Infelizmente acoplado a essa situação ainda existe o pensamento que tudo que não queremos é descartável. As pessoas ainda não possuem o hábito de reduzir, reutilizar e reciclar. Precisamos mudar alguns paradigmas e repensar no que consumo e como consumimos. Não vamos deixar de gerar resíduos, mas podemos diminuir essa produção.

Palavras dos autoridades ambientais

A Agenda 21 diz que “a sociedade precisa desenvolver formas eficazes de lidar com o problema da eliminação cada vez maior de resíduos. Os Governos, juntamente com a indústria, as famílias e o público em geral, devem envidar um esforço conjunto para reduzir a geração de resíduos e de produtos descartados” (SMA 1998a).

Segundo Duran de La Fluente (1997) existe a necessidade de implantar políticas ambientais condizentes com o desenvolvimento sustentável, além de transformar a sociedade civil para que seja uma sociedade alerta, consciente, mobilizada e participativa para evitar que o desenvolvimento econômico pode leve a uma perda do patrimônio natural e ambiental.

Andrea Vialli publicou uma reportagem no jornal Estadão em 2011 onde revela que à geração de lixo está crescendo no Brasil, pois houve uma produção de 195 mil toneladas de resíduos sólidos por dia em relação ao ano de 2009. Esse aumento foi de 6,8%. O maior problema, segundo a jornalista consiste no fato de que tanto a questão da correta destinação desses resíduos quanto os programas de coleta seletiva não avançam na mesma proporção.

Tais dados fazem parte do Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2010, levantamento anual realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

Impactos ambientais advindos da má gestão dos resíduos sólidos

O lixo contribui para a poluição visual. Quando disposto de forma inadequada polui o solo, a água e o ar. O lixo é uma questão de saúde pública. Pois pode transmitir doenças aos seres humanos através de pragas, insetos ou animais que se alimentam do lixo. Desse modo pode-se insetos que podem transmitir a malária, dengue e febre amarela. Assim como os ratos transmitem leptospirose, peste bubônica, tifo e disenteria podendo causar a morte.

Cresce, assim, a importância da educação ambiental para mudança de algumas atitudes. Precisamos nos preocupar com um Planeta que está em crise devido aos problemas gerados pela poluição em todas as suas formas.

Quando à sociedade tomar consciência da responsabilidade compartilhada em relação ao lixo produzido, teremos avançado como nunca antes. Principalmente em relação aos hábitos de consumo, por exemplo, a escolha sobre ao tipo de produto ou serviço adquirido. Dessa forma viveremos em condições mais saudáveis, além de atingir o verdadeiro desenvolvimento sustentável.

Segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos somos responsáveis direta ou indiretamente pelos resíduos que produzimos. Devemos assim desenvolver ações relacionadas à gestão integrada ou ao gerenciamento de resíduos sólidos. Desde a coleta até a destinação final adequada dos rejeitos. Observando a ordem de prioridade: não geração, redução, reutilização, reciclagem.

O estudo gravimétrico é de extrema importância para realizar um diagnóstico de resíduos sólido do Município ao ser estudado. Pois se trata de uma análise quantitativa e qualitativa, onde identificamos os tipos e a quantidade de resíduos produzidos.

Área de Estudo

O Município de Jambeiro localiza-se no Vale do Paraíba, estado de São Paulo. Com latitude 23º15’13” S e de longitude 45º41’16” W, estando a uma altitude de 695 metros. Sua população estimada em 2013 era de 5.635 habitantes segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE, 2010).

Os municípios limítrofes são Caçapava e São José dos Campos a norte, Redenção da Serra a leste, Paraibuna a sul. E por fim, Santa Branca a sudoeste e Jacareí a oeste.

Gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos

Atualmente a Prefeitura de Jambeiro é a responsável pela varrição urbana, coleta, transporte e destinação final dos resíduos sólidos urbanos. Sendo que a coleta e a destinação dos resíduos da saúde são de responsabilidade de uma empresa terceirizada.

Antes os resíduos produzidos pelo Município eram destinados para um aterro controlado que foi desativado. E desde dezembro de 2012 os resíduos são levados para um aterro sanitário particular da ENGEP Ambiental.

No Município de Jambeiro-SP ainda não foi implantada a coleta seletiva e não se investe em reciclagem.

Todos os resíduos produzidos são coletados e destinados ao aterro sanitário já mencionado. Este empreendimento está devidamente licenciado pela CETESB e recebe apenas resíduos de Classe II A e Classe II B.

Para o serviço de coleta desses resíduos existem dois caminhões, com capacidade total de 9.6m³ e 5m³, respectivamente. E uma carreta que é usada apenas se um dos caminhões quebrar.

Na segunda, quarta e sexta-feira a coleta ocorre na zona urbana, enquanto a zona rural é atendida às terças e quintas feira. Mas essa rota não é seguida fielmente, havendo alterações.

Um dos caminhões sempre percorre alguns dos bairros urbanos, a área industrial e em alguns dos bairros rurais. Exemplo: urbanos como Jambeirinho, Centenário, CDHU I e CDHU II e nos bairros rurais: na Fazenda Brasil e no Bairro dos Francos. Ao passo que o outro  caminhão passa nos bairros urbanos e rurais como Jardim das Oliveiras, e nos condomínios: São Francisco e Santa Bárbara.

Análise da Composição Gravimétrica

Para a análise gravimétrica foi utilizada a adaptação de destino final. Ou seja, as amostras foram retiradas dos caminhões dentro do aterro sanitário da empresa ENGEP Ambiental logo após seu descarregamento.

As pesagens ocorreram com o veículo ainda carregado, em seguida foi realizado outra pesagem após descarregamento dos resíduos. Onde subtraiu-se o valor do peso do veículo vazio pelo valor do veículo carregado. Assim foi possível verificar quantos Kg havia de resíduos nos caminhões e qual seu volume.

Depois de descarregar os resíduos na área operacional foram coletadas quatro amostras na base e uma no topo. A separação de resíduos sólidos foi realizada manualmente, em área aberta próxima a área operacional do aterro sanitário.

Retiraram-se as amostras do todo e estas foram colocadas em tambores de 200L. Portanto, para cada amostra utilizou-se dois destes tambores, então foi trabalhado com um volume de 4 m³ por caminhão.

Após este procedimento os resíduos foram colocados numa lona de 4X6m e iniciou-se a separação dos materiais e as pesagens.

Triagem dos resíduos

Os resíduos foram triados nos seguintes grupos: matéria orgânica, papel, papelão, plástico total (mole e rígido), vidro, alumínio, metais. Bem como os material de construção civil e outros, por exemplo, rejeitos, isopor, roupas e sapatos.

Estima-se que a geração de papel/papelão destaca-se em relação aos outros materiais triados. Pois estes são descartados pelos supermercados, comércios e indústrias do Município. A quantidade de papelão encontrada foi relativamente maior o papel, mas também foram encontrados muitas revistas e livros que poderiam ter sido doados.

Estima-se que a quantidade de matéria orgânica foi menor em relação aos dados encontrados no Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Pois muitos munícipes que vivem na área rural reutilizam os restos de comida para alimentar os animais de criação. Outro ponto relevante é o fato do Município ser pequeno não possuindo grandes estabelecimentos, portanto o desperdício de alimentos é menor, mas existe.

No grupo de vidros destacaram-se os cascos de bebidas alcoólicas. Já nos grupo dos materiais de construção civil, os resíduos encontrados foram restos de concreto. No grupo dos outros ou rejeitos estão agrupados as roupas, sapatos, isopor, fraldas, papel higiênico, etc.

Discussão

Estima-se uma média de produção diária por habitante de 1,1 Kg. Este valor pode ser reduzido, caso se adote políticas públicas preventivas e efetivas para a não geração e redução. Assim como, respectivamente o tratamento dos resíduos e a disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos, como orienta o art.9º da Lei 12.305/2010.

Ao compararmos a gravimetria dos resíduos sólidos do Município de Jambeiro com a estimativa da composição gravimétrica no Brasil(2008). Conforme Plano Nacional de Resíduos Sólidos, verificou-se que a produção e o descarte de plásticos e papel/papelão são elevados. Isso mostra como a gestão e o gerenciamento dos resíduos é ineficiente devido à falta de Educação Ambiental. Principalmente falta de responsabilidade dos diversos segmentos da sociedade.

A vigência da PNRS foi um marco histórico. Ao se tratar da responsabilidade compartilhada, no que se referem aos problemas gerados pelos resíduos. E nos deixa um alerta, de que realmente devemos mudar nossa atitude e nossos padrões de consumo.

Neste ponto, a Educação Ambiental é fundamental para criar novos cidadãos conscientes e críticos, capazes de realmente transformar o ambiente onde vive e a realidade atual.

“A Constituição Federal assegura como direito fundamental de todo um ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e de preservá-lo para as presentes e futuras gerações”.

Conclusão

O Município de Jambeiro comporta 5.635 habitantes e uma área industrial com 12 empreendimentos de pequeno porte. Dentre essas indústrias a ENGEP Ambiental, responsável legal pelo aterro sanitário do Município.

O procedimento mais complexo é viabilizar uma destinação ambientalmente adequada e segura aos resíduos gerados. No caso a instalação do aterro sanitário no Município foi economicamente viável, pois recebeu como contrapartida da empresa, o serviço de disposição final gratuito.

Conclui-se que se deve elaborar um Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. O Município deverá planejar e organizar as rotas de coleta de resíduos a fim de evitar custos operacionais.

Deve-se criar um programa de coleta seletiva, uma central de triagem de recicláveis e obter uma área de transbordo. Para que assim os resíduos sejam separados de acordo com suas características físico-químicas, o que fará seu valor aumentar. Inclusive deve-se priorizar a integração dos catadores ao mercado de trabalho, aproveitando da sua experiência para exercer alguma função dentro das centrais.

A cooperativa de reciclagem é uma atividade que gera renda ao trabalhador não qualificado. Promovendo assim sua inclusão social e este passa a ter direitos trabalhistas.

Pode-se melhorar toda a gestão de resíduos sólidos do Município, desde o sistema de coleta até as formas de destinação dos resíduos. Além de investir nas ações citadas acima, a fim de gerar renda ao Município e proporcionar emprego. Por fim, atender a PNRS que orienta a não geração, reutilização e reciclagem dos resíduos.

Portanto, o presente trabalho pode dar suporte a uma futura elaboração de um Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos.

Cristiane Biacchi dos Santos Matos Ribeiro – Trabalho de Conclusão do Curso de Diagnóstico de Resíduos Sólidos – Gravimetria oferecido pelo Portal Resíduos Sólidos / Orientador: Gleysson B. Machado

Referencias Bibliográficas

  • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. 2004. – Resíduos Sólidos Classificação. São Paulo, 5 p.
  • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. 2004. – Amostragem de Resíduos Sólidos. São Paulo, 1 e 2 p.
  • IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico. Rio de Janeiro, 2008.
  • IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores de Desenvolvimento Sustentável. Rio de Janeiro, 2010.
  • DOURADO, Juscelino; BELIZÀRIO Fernanda. Reflexão e práticas em educação ambiental: discutindo o consumo e a geração de resíduos. São Paulo: Oficina de textos, 2012.
  • Lei n.° 12.305 de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos e da outras providencias. Diário Oficial [da] Republica Federativa do Brasil. Brasília, DF. 2010.
  • JARDIM, Arnaldo; YOSHIDA, Consuela; FILHO, José Valverde Machado. Política Nacional, Gestão e Gerenciamento de Resíduos Sólidos. S.P: Manole, 2012.

 

Share this:
Tags:

About Gleysson B. Machado

Gleysson B. Machado

Sou especialista em transformar problemas ambientais em negócios sustentáveis. Formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios

  • Instagram
  • LinkedIn
  • Email

Add Comment