A GRAVIMETRIA DOS RESÍDUOS É NECESSÁRIA PARA TODOS OS PLANOS DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Qual a importância da gravietra para os planos de resíduos sólidos?
Como os Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - PMGIRS devem ser realizados? Qual o conteúdo mínimo do Plano Nacional de Resíduos Sólidos? Qual o conteúdo mínimo dos Planos Estaduais de Resíduos Sólidos? Qual o conteúdo mínimo dos Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - PMGIRS? Qual o conteúdo mínimo cobrado no Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos? Quais as projeções para o profissionais qualificados nesse setor?

COMPARTILHE

Gravimetria dos resíduos. A criação da Política Nacional de Resíduos SólidosPNRS é considerada um marco na história do país. Sua implementação inicia com o planejamento por setor e com elaboração dos Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS. Por sua vez, a Gravimetria dos resíduos é um dos instrumentos indispensáveis para a elaboração dos PGRS.

A elaboração dos Planos de Resíduos para o setor público é exigida pela Lei 12.305/10. Além disso, é condição para que Estados e Municípios tenham acesso a recursos da União destinados ao setor de resíduos. O lento processo de desenvolvimento dessa área no Brasil é reflexo do baixo números de profissionais qualificado no setor

O que é gravimetria dos resíduos sólidos?

A gravimetria dos resíduos sólidos é uma técnica de análise que consiste na pesagem e classificação dos resíduos gerados em determinado local ao longo de um período de tempo. Essa técnica é utilizada para quantificar e caracterizar os diferentes tipos de resíduos sólidos presentes em uma determinada fonte geradora, como um município, bairro, empresa, estabelecimento comercial, entre outros.

Aprenda a quantificar e classificar os resíduos de acordo com a Lista Europeia dos Resíduos e da ABNT NBR 10004/2004.

O processo de gravimetria dos resíduos envolve os seguintes passos:

  1. Coleta dos resíduos: Os resíduos sólidos são coletados na fonte geradora de forma representativa, ou seja, uma amostra que reflita as características do total de resíduos gerados no local.
  2. Classificação dos resíduos: Após a coleta, os resíduos são separados e classificados em diferentes categorias, como papel, plástico, metal, vidro, orgânicos, resíduos perigosos, entre outras, de acordo com sua composição e características.
  3. Pesagem: Cada categoria de resíduo é pesada individualmente, e o peso de cada tipo de resíduo é registrado.
  4. Cálculos e análises: Com base nos dados de pesagem e classificação, é possível calcular a composição gravimétrica dos resíduos, ou seja, a porcentagem de cada tipo de resíduo em relação ao total gerado. Essas informações podem ser expressas em gráficos ou tabelas.

A gravimetria dos resíduos é uma ferramenta fundamental para o planejamento e a gestão adequada dos resíduos sólidos. Com base nessas informações, é possível tomar decisões embasadas sobre a implementação de programas de coleta seletiva, ações de reciclagem, estratégias de redução da geração de resíduos e a destinação final mais adequada para cada tipo de resíduo.

A gravimetria dos resíduos é crucial para a gestão ambiental, fornecendo dados precisos sobre a composição dos resíduos sólidos gerados. Com essas informações, é possível planejar estratégias eficientes de coleta seletiva, reciclagem e tratamento, reduzindo a disposição inadequada e promovendo a economia circular. Um passo fundamental para um futuro mais sustentável.
A análise gravimétrica dos resíduos é uma ferramenta valiosa para a tomada de decisões embasadas na gestão ambiental. Ela permite identificar os tipos e quantidades de resíduos produzidos, viabilizando ações de reciclagem, reutilização e tratamento adequado. Investir na gravimetria é essencial para promover práticas sustentáveis e mitigar impactos negativos ao meio ambiente.

Além disso, a gravimetria dos resíduos também é essencial para a elaboração dos Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS) e para o cumprimento das diretrizes estabelecidas na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), promovendo uma gestão mais sustentável e consciente dos resíduos.

Por que a gravimetria dos resíduos é tão importante para os planos de resíduos sólidos?

A gravimetria dos resíduos é uma técnica de análise que consiste na pesagem e classificação dos resíduos sólidos gerados em determinado local ao longo de um período de tempo. Essa análise é essencial para os planos de resíduos sólidos por diversas razões:

  • Diagnóstico preciso: Através da gravimetria, é possível obter um diagnóstico mais preciso da composição dos resíduos gerados em um determinado local, seja um município, bairro, empresa ou outro tipo de unidade geradora. Com essas informações, é possível conhecer os tipos de resíduos mais comuns, a quantidade de cada tipo gerado e sua variação sazonal ao longo do tempo.
  • Planejamento adequado: Com base nos dados da gravimetria, é possível planejar e dimensionar adequadamente os serviços de coleta, transporte, tratamento e destinação final dos resíduos. Isso evita o desperdício de recursos e garante que as ações de gestão sejam direcionadas para as necessidades específicas de cada tipo de resíduo.
  • Estímulo à coleta seletiva: A gravimetria ajuda a identificar a quantidade e a disponibilidade de materiais recicláveis nos resíduos sólidos. Essa informação é fundamental para o planejamento de programas de coleta seletiva eficientes, que visam a recuperação de materiais e a promoção da economia circular.
  • Tomada de decisões embasadas em dados: A coleta e a análise de dados por meio da gravimetria proporcionam informações objetivas e embasadas, o que permite que as decisões relacionadas à gestão de resíduos sejam tomadas com maior confiança e embasamento técnico.
  • Definição de metas e indicadores: Os dados da gravimetria são essenciais para a definição de metas de redução de resíduos, aumento da reciclagem e outras ações de gestão. Além disso, são utilizados como indicadores para avaliar o desempenho e o progresso das ações propostas nos planos de resíduos sólidos.
  • Educação ambiental: A divulgação dos resultados da gravimetria pode sensibilizar a população sobre a importância da separação correta dos resíduos e do consumo consciente, auxiliando no engajamento da comunidade em práticas mais sustentáveis.

Portanto, a gravimetria dos resíduos é uma ferramenta fundamental para a elaboração e implementação eficiente dos planos de resíduos sólidos. Ela fornece informações essenciais para a tomada de decisões, planejamento adequado e busca por soluções mais sustentáveis e alinhadas com as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

Como os Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – PMGIRS devem ser realizados?

Conforme a PNRS é condição para o Distrito Federal e aos municípios terem acesso a recursos da União, o PMGIRS. A PNRS também exige que exista um conteúdo mínimo dentro de cada um desses planos. Esse conteúdo mínimo varia de acordo com o plano em questão. Ou seja, haverá diferenças entre o plano Nacional, Estadual, Municipal, Intermunicipal ou para empresas públicas ou privadas.

Apesar de servirem a propósitos diferentes e provavelmente apontarem soluções diferentes, todos estes Planos exigem um Diagnóstico dos Resíduos gerados. Esse diagnóstico também é conhecido como Estudo Gravimétrico, Gravimetria ou Análise Quantitativa e Qualitativa dos Resíduos. Somente através deste estudo se pode dar respaldo técnico as soluções apresentadas e sugeridas por quem quer que seja.

A exigência por um diagnóstico é inclusive a maior prioridade de todos os planos. Este, sempre será mencionada no início das exigências de conteúdo mínimo de cada um dos planos. Veja a descrição das exigências de conteúdo mínimo de cada um dos planos retiradas diretamente da PNRS:

Qual o conteúdo mínimo do Plano Nacional de Resíduos Sólidos?

No Art. 15 da PNRS, a União elaborará, sob a coordenação do Ministério do Meio Ambiente, o Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Este plano deverá ter vigência por prazo indeterminado e horizonte de vinte anos, a ser atualizado a cada quatro anos. Com relação ao conteúdo mínimo exigido no plano, o diagnóstico é cobrado da seguinte forma:

Lei 12.305/10, Art. 15, Inciso I – diagnóstico da situação atual dos resíduos sólidos”.

Neste sentido, o diagnóstico demonstrará a situação nacional quanto a gestão e o gerenciamento dos resíduos sólidos.

Qual o conteúdo mínimo dos Planos Estaduais de Resíduos Sólidos?

No Art. 17 da PNRS, o plano estadual será elaborado para vigência por prazo indeterminado, abrangendo todo o território do estado. O mesmo deverá ter horizonte de atuação de vinte anos e revisões a cada quatro anos. Em seu conteúdo mínimo, o diagnóstico é exigido da seguinte forma:

Lei 12.305/10, Art. 17,Inciso I – diagnóstico, incluída a identificação dos principais fluxos de resíduos no estado e seus impactos socioeconômicos e ambientais”.

De acordo com o artigo supracitado, o diagnóstico do plano estadual deverá ser apresentado de forma mais completa. Diferentemente do plano nacional, há necessidade de se conhecer os fluxos de resíduos no Estado. Ao entender a dinâmica dos fluxos, torna-se possível uma interação entre os entre quem gera e quem trata os resíduos. Com isso, agrega-se valor aos resíduos e favorece ao surgimento de uma nova cadeia comercial impulsionado pela indústria da reciclagem.

Em decorrência disso, deve-se também identificar os possíveis impactos socioeconômicos e ambientais do setor. Uma vez que, é necessário o controle desses fatores para que haja o desenvolvimento sustentável conforme os princípios da PNRS.

Qual o conteúdo mínimo dos Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – PMGIRS?

De acordo com o Art. 19, da PNRS, o diagnóstico do PMGIRS, requer as seguintes informações:

Lei 12.305/10, Art.19, Inciso I – diagnóstico da situação dos resíduos sólidos gerados no respectivo território, contendo a origem, o volume, a caracterização dos resíduos e as formas de destinação e disposição final adotadas”.

Para o PMGIRS há uma cobrança maior quanto a caracterização dos resíduos gerados. Essas informações são requeridas ao município, pois este é o responsável direto pelas fontes geradoras de resíduos. Assim, torna-se possível uma maior representatividade do cenário de resíduos Estadual como no direcionamento da destinação e disposição final dos resíduos.  

Qual o conteúdo mínimo cobrado no Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos?

No Art. 21. o diagnóstico no Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos-PGRS é cobrado da seguinte forma:

Lei 12.305/10, Art. 21, Inciso II – diagnóstico dos resíduos sólidos gerados ou administrados, contendo a origem, o volume e a caracterização dos resíduos, incluindo os passivos ambientais a eles relacionados”.

Por se tratar de geradores diretos de resíduos, a negligência alguns empreendimentos são obrigados a implantar o plano de gerenciamento de resíduos. Em casos da falta ou não implantação desse plano, os Responsáveis por Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, poderão ser presos. De acordo com o Art. 20 da PNRS estão sujeitos à elaboração de plano de gerenciamento de resíduos sólidos:

  1. Os geradores de resíduos sólidos previstos nas alíneas e, f, g e h do inciso I do art. 13;
  2. Os estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que:
  3. gerem resíduos perigosos;
  4. gerem resíduos que, mesmo caracterizados como não perigosos, por sua natureza, composição ou volume, não sejam equiparados aos resíduos domiciliares pelo poder público municipal;

III. as empresas de construção civil, nos termos do regulamento ou de normas estabelecidas pelos órgãos do Sisnama;

  1. Os responsáveis pelos terminais e outras instalações referidas na alínea j do inciso I do art. 13 e, nos termos do regulamento ou de normas estabelecidas pelos órgãos do Sisnama e, se couber, do SNVS, as empresas de transporte;
  2. Os responsáveis por atividades agrossilvopastoris, se exigido pelo órgão competente do Sisnama, do SNVS ou do Suasa.

Quais as projeções para o profissionais qualificados nesse setor?

A especialização em gravimetria dos resíduos sólidos é uma decisão promissora para aqueles que buscam uma carreira em sintonia com as questões ambientais e sustentáveis. Com o crescente aumento da preocupação com o meio ambiente e a necessidade urgente de lidar com a problemática dos resíduos, a gravimetria se tornou uma ferramenta indispensável para entender a composição dos resíduos e tomar decisões embasadas no gerenciamento desses materiais.

Ao se aprofundar nesse campo, o profissional adquire habilidades técnicas essenciais para quantificar e classificar os diferentes tipos de resíduos produzidos em diversas fontes geradoras, como municípios, empresas, bairros e estabelecimentos comerciais. Essa análise detalhada dos resíduos permite identificar as quantidades de cada tipo de material presente e suas variações ao longo do tempo.

Os dados obtidos pela gravimetria dos resíduos são fundamentais para o desenvolvimento de estratégias e ações mais efetivas na gestão de resíduos sólidos. Com base nessas informações, é possível planejar e dimensionar adequadamente os serviços de coleta, transporte, tratamento e destinação final dos resíduos, otimizando recursos e evitando desperdícios.

Além disso, a gravimetria é uma ferramenta crucial para a promoção da economia circular, uma abordagem que visa minimizar a geração de resíduos e fomentar a reciclagem e a reutilização de materiais. Ao identificar a presença de materiais recicláveis nos resíduos, o profissional pode propor soluções para viabilizar a recuperação desses materiais e sua reintrodução na cadeia produtiva.

O mercado de trabalho na área de gestão de resíduos está em crescimento, impulsionado por regulamentações ambientais mais rigorosas, a busca por práticas sustentáveis e a conscientização das empresas e governos sobre a importância do manejo adequado dos resíduos. Profissionais especializados em gravimetria são valorizados e encontram oportunidades de trabalho tanto no setor público como no privado.

Além disso, ao se especializar em gravimetria dos resíduos, você estará contribuindo diretamente para a preservação do meio ambiente e para a promoção de práticas mais conscientes em relação aos resíduos sólidos. A sua atuação terá um impacto positivo na redução da disposição inadequada de resíduos, na promoção da reciclagem e na busca por soluções mais sustentáveis.

Com uma abordagem interdisciplinar, a gravimetria dos resíduos envolve conhecimentos em engenharia ambiental, química, gestão ambiental, estatística, entre outras áreas, permitindo que o profissional desenvolva habilidades valiosas para a sua carreira e atue em diferentes contextos e projetos.

Assim, a especialização em gravimetria dos resíduos sólidos representa uma oportunidade para profissionais comprometidos com a sustentabilidade e interessados em fazer a diferença na gestão dos resíduos e na preservação do meio ambiente para as gerações futuras.

Veja neste vídeo um exemplo real de oportunidade para consultores:

Descubra o mundo da gestão de resíduos com a VirapuruFlix! Acesse cursos e mentorias exclusivos sobre reciclagem, tratamento de resíduos e sustentabilidade. Ideal para empresários e ambientalistas que buscam inovar e liderar no mercado verde.
Amplie seu conhecimento em resíduos sólidos com a VirapuruFlix. Com conteúdo técnico avançado, é perfeito para acadêmicos e profissionais do setor ambiental. Assine e mantenha-se atualizado com as melhores práticas e tecnologias!
Picture of Gleysson B. Machado

Gleysson B. Machado

Sou especialista em transformar problemas ambientais em negócios sustentáveis. Formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios
Agora é a sua vez. Você acha que consegue contribuir com o conteúdo acima? Deixe seu comentário!

NOSSOS CURSOS

LEIA TAMBÉM

Biodigestor Indiano. A suinocultura é a criação de suínos para produção de carne e outros produtos derivados. É uma atividade importante na indústria agropecuária, fornecendo alimentos e matéria-prima para diversos setores. A suinocultura requer cuidados com a saúde e bem-estar dos animais, além de práticas sustentáveis de manejo e gestão de resíduos.
Indústrias do orgânicos
Gleysson B. Machado

BIODIGESTOR PARA DEJETOS SUÍNOS E RESÍDUOS DE SILAGEM DE MILHO NA ALEMANHA

O que é suinocultura? Quais os principais problemas da suinocultura? Como um biodigestor para dejetos suínos pode tornar a suinocultura sustentável? Como funciona um biodigestor para dejetos suínos na Alemanha? Como ganhar dinheiro com biodigestor para dejetos suínos? Como obter ajuda para montar um biodigestor para dejetos suínos? Exemplo do funcionamento de um biodigestor em vídeo

veja Mais »
Trabalhar com comércio de recicláveis permite que você seja um agente de mudança, transformando lixo em recursos valiosos e criando um impacto positivo na sociedade.
CORE 3P
Gleysson B. Machado

QUEM PODE TRABALHAR COM COMÉRCIO DE RECICLÁVEIS? VEJA SE VOCÊ SE ENCAIXA NO PERFIL!

Quais são os requisitos ou habilidades necessárias para atuar no comércio de recicláveis? Quais são as oportunidades de negócio disponíveis para quem deseja trabalhar com esse mercado? É preciso ter experiência anterior ou formação específica para se envolver no comércio de recicláveis? Quais são as características ou perfis mais comuns entre os profissionais bem-sucedidos nessa área? Como posso identificar se tenho o perfil adequado para ingressar no comércio de recicláveis e obter sucesso? 

veja Mais »
O Portal Resíduos Sólidos é especialista em soluções para resíduos sólidos
Noticias
Gleysson B. Machado

USINA DE COMPOSTAGEM DE SALERNO NA ITÁLIA

O que é uma usina de compostagem? Como funciona a Usina de compostagem de Salerno na Itália? Neste exemplo prático, você aprende como combinar duas formas de tratamento de resíduos orgânicos. A biodigestão e compostagem para tratar resíduos orgânicos.

veja Mais »