Não Geração, Redução, Reutilização, reciclagem e tratamento de resíduos de madeira

Resíduos de madeira
Gestão dos resíduos de madeira.

Como funciona a destinação final ambientalmente correta de Resíduos de madeira? É possível não gerar ou reduzir a geração de resíduos de madeira? Como reutilizar ou  reciclar resíduos de madeira? Como ocorre o tratamento de resíduos de madeira?

A extração desenfreada de madeira agrava o desmatamento e as consequências para a qualidade de vida da humanidade. O desmatamento interfere na qualidade do ar e também na quantidade de água disponível no planeta. A madeira é um dos recursos naturais mais abundantes do Planeta e mais utilizados na indústria em toda a história. São diversas as utilidades que o ser humano encontrou para a madeira.  Desde os tempos primórdios, a madeira é utilizada para a construção de casas, fonte de calor e utensílios domésticos.

Como identificar esta oportunidade? Como investir na área? Obtenha seu sucesso investindo no que o mercado procura. Saiba como se tornar um, e ap  PROFISSIONAL INTERNACIONAL EM GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS aproveite as oportunidades do mercado.   

 

DIAGNOSTICO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS – GRAVIMETRIA

Aprenda como fazer uma análise gravimétrica e descubra a quantidade de resíduos de madeira disponíveis no mercado para viabilizar seus projetos. 

O setor de madeira é conhecido como Sistema Agroindustrial da Madeira (SAG Madeira) que é um conjunto dos segmentos ofertantes de produtos e serviços à silvicultura e à extração vegetal, e as atividades processadoras e distribuidoras de produtos que, em sua elaboração, utilizam a madeira. ZYLBERSZTAJN(1995); JANK et al. (1995).

 Assim, fazem parte do Sistema Agroindustrial da Madeira os seguintes conjuntos de atividades:

  •     Indústrias que elaboram insumos para extração vegetal e silvicultura (indústrias de tratores, equipamentos, defensivos e fertilizantes), empresas que comercializam esses produtos, e prestadoras de serviços;
  • Estabelecimentos silvicultores e de extração vegetal;
  •       Segmentos industriais como empresas siderúrgicas, processamento mecânico da madeira (serrarias, lâminas, compensados e chapas de fibras) e setor de celulose e papel;
  •       Segmentos industriais que realizam a transformação de produtos (empresas moveleiras, gráfica, editoração, embalagens), ou distribuem os produtos dos segmentos já mencionados.

Sabemos que todos os setores da sociedade produzem resíduos, e no SAG Madeira não seria diferente. Veja abaixo o diagrama sobre a definição do Sistema Agroindustrial da Madeira e imagine a quantidade de resíduos gerados pelo setor:

Como falar de tecnologias e negócios para o setor de resíduos sólidos sem conhecimento estratégico? Como entender a legislação de um modo que eu possa aplicar na prática sem ter que fazer faculdade? O curso GGIRS foi desenvolvido para você que quer ter uma visão geral sobre legislação, tecnologias, mercado e viabilidade econômica, mas não tem tempo a perder.

 A partir da sanção da Política Nacional de Resíduos Sólidos, empresas neste setor precisam dar destinação final adequada para seus resíduos. A solução técnica adotada deve seguir a ordem de prioridade no gerenciamento dos resíduos, estabelecida pela Lei 12.305/2010 Art. 9°, como mostra a figura abaixo.

A adoção da ordem de prioridade é baseada na experiência positiva de países como a Alemanha. Além de estimular o uso da ordem de prioridade, proíbe que resíduos de madeira sejam dispostos em aterros sanitários desde 2003. Conforme a Lei 12.305/2010, as empresas do Sistema Agroindustrial da Madeira precisam elaborar o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. A contabilização exata de dados sobre este setor é extremamente difícil no Brasil pelo fato do setor não ser organizado. Ainda não existem sistemas de quantificação dos resíduos gerados como dados primários sistematizados, índices de geração, bem como, localização geográfica das atividades.

 Por isso, apresentaremos informações divulgadas no site da EMBRAPA de autoria do Professor Carlos José Caetano Bacha da Esalq/USP – Piracicaba sobre o faturamento anual do setor:

“No período de 1993 a 1995, estima-se que o SAG Madeira teve faturamento médio anual mínimo de R$ 64,48 bilhões (a poder de compra de dezembro de 1998) e gerou volume de emprego anual médio de, pelo menos, 1,45 milhão de pessoas. Estima-se que, em 1995, o SAG Madeira foi responsável por, no mínimo, 3,26% do PIB brasileiro. O SAG Madeira tem se caracterizado como um exportador líquido. Em 1998, ele gerou exportações de US$ 3,65 bilhões e importações de US$ 1,14 bilhão. Tais valores foram equivalentes a 7,14% e 1,98% do total das exportações e importações brasileiras, respectivamente.”

Levantamento do Ministério do Meio Ambiente brasileiro publicado no Plano Nacional de Resíduos Sólidos chegam as seguintes conclusões:

“Estimou-se um total de 85.574.465 m³/ano de resíduo florestal em duas etapas da cadeia produtiva da madeira (colheita e processamento mecânico) (Tabela 19), não sendo contabilizada a geração na segunda indústria de transformação. Os resíduos das indústrias de papel e celulose totalizaram 10.916.640 t/ano de resíduos, não sendo quantificados especificamente para as regiões. Para o setor da silvicultura estimou-se uma geração potencial de 1604 MW/ano, não sendo contabilizado o potencial gerado, por exemplo, nas indústrias de celulose, como o caso do licor negro, que é utilizado como co-geração de energia nas indústrias de celulose.”

Como funciona a destinação final ambientalmente correta de Resíduos de madeira?

Obedecendo a ordem de prioridade no gerenciamento de resíduos, exigida pela Lei 12.305/2010, veremos a seguir metodologias e tecnologias que permitem transformar a realidade do Brasil. De um modo geral, independentemente de sua origem devemos observar a prioridade no gerenciamento para dar destinação correta aos resíduos de madeira.

A Cooperativa Sonho de Liberdade, criada por um ex-detento, foi formalizada em 2009  na cidade de Brasília. É um exemplo prático de como pode tornar um negócio economicamente viável. Eles recebem resíduos de madeira e aproveitam tudo que possa ser transformada em móveis ou em outros utensílios. Os resíduos que não podem ser aproveitados são triturados e comercializados como matéria prima de geração de energia térmica para indústrias da região. Até o final de 2013, a cooperativa empregava mais de 400 pessoas.

É possível não gerar ou reduzir a geração de resíduos de madeira?

Reduzir ou até mesmo não gerar resíduos significa entender que existe sempre uma maneira melhorar a fabricação de produtos. Somente investimento em inovação e tecnologia é capaz de identificar maneiras mais eficientes de produção. Normalmente, esses investimentos costumam ser altamente rentáveis a medida que proporciona redução de custos ao evitar os desperdícios. No setor de madeira é possível aplicar esses métodos desde a coleta de árvores até a fabricação de móveis. Em grande parte das serrarias espalhadas pelo Brasil, o desperdício chega a 40% de uma tora. No vídeo abaixo é possível entender mais sobre o assunto:

 

Como reutilizar ou reciclar resíduos de madeira?

No setor de móveis é comum a reutilização de produtos. Isto acontece porque com as tecnologias atuais é possível restaurar boa parte dos móveis estendendo o ciclo de vida do produto. A venda de móveis usados é muito comum na Europa e em países desenvolvidos. Em alguns casos, dependendo da qualidade de fabricação dos produtos, é possível reutilizar resíduos de madeira da construção civil e de embalagens. O grande gargalo para reutilização é a exposição excessiva da madeira às ações do tempo como chuva e sol. Por ser de origem orgânica, esse material tem seu processo de decomposição acelerado por esses fatores.

É no processamento mecânico que os resíduos de madeira encontram sua principal destinação. São inúmeras as possibilidades de reciclagem de produtos de madeira. Móveis antigos podem ser reciclados para fabricação de novos produtos, como outros móveis ou elementos para a construção civil como o MDF (MittelDichten Faserplatten) e OSB (Oriented Strand Board). Em alguns países como a Itália, a fabricação de MDF é feita a partir de resíduos do próprio MDF (PALADIN, 2002).

No exemplo do vídeo abaixo, temos uma fábrica de MDF e MDP que utiliza madeira virgem para fabricação dos painéis. Com mais investimentos em inovação e tecnologia, esta mesma fábrica poderia também aproveitar resíduos de MDF para a fabricação de novos MDF, como é feito na Itália. O que muda aqui é somente a matéria prima utilizada, mas o processo de fabricação é o mesmo. Pequenas lascas de madeira resultantes do processo de fabricação de móveis em serrarias podem ser facilmente transformadas em matéria prima para a forragem de parques infantis. Alguns tipos de árvores são utilizados também para defumação de alimentos, mercado esse que está em expansão.

 

Como ocorre o tratamento de resíduos de madeira? 

Qualquer resíduo de madeira tem conteúdo energético alto e pode facilmente ser utilizado como combustível na geração de energia térmica ou elétrica. Neste processo, ganha destaque a incineração dos resíduos de madeira. Entre as grandes vantagens está a redução de volume dos resíduos que depois de tratados ainda produzem energia. A depender da finalidade, os resíduos de madeira podem ser aproveitados em pedaços pequenos ou grandes. Em fornos de fábricas de cimento ou siderúrgicas, não há a necessidade de trituração excessiva dos resíduos. Contudo, quanto menor for as frações, melhor será o controle sobre a temperatura dos processos envolvidos. Veja no vídeo abaixo o exemplo de uma máquina de trituração de madeira móvel encontrada na Alemanha:

 

O poder calorífico da madeira seca é em média de 18 MJ/kg, comparável ao briket de lignito, um carvão com elevado teor de carbono em sua composição. A energia térmica de uma tonelada de óleo pode ser substituída por 2,4 toneladas de madeira (SALINGER, 1989). Através da queima de madeira, são liberados gases como o gás carbônico (CO2). Um ponto negativo no processo de queima de madeira é a formação de gases de óxidos de nitrogênio (NOx), poluentes da atmosfera. Esse processo acontece especialmente na queima de produtos feitos a partir de madeira tratadas com colas que contêm nitrogênio. Na Europa é comum a utilização de centrais de aquecimento a base de pellets, fabricados a partir de resíduos de madeira. Estes devem ser triturados até atingirem a fração ideal para a queima e não podem estar úmidos.

É preciso cautela na escolha dessa solução para tratamento de resíduos de madeira, pois pode criar um empreendimento que desmata florestas para a geração de energia. Tal medida colocaria os (ir)responsáveis como criminosos ambientais. A incineração de resíduos de madeira só é aconselhável na ausência comprovada de falta de outras possibilidades de tratamento dos resíduos. Uma atenção especial deve ser dada as Leis de Energias Renováveis. Não é aconselhável estimular a produção de energia a partir de qualquer recurso renovável, como no caso da madeira. Outra forma de tratamento de resíduos de madeira se dá no uso destes resíduos no processo de compostagem de resíduos orgânicos. Para isso podem ser utilizados resíduos de podas de árvores resultantes da limpeza urbana.

Empreendimentos

Existem diversas variáveis que influenciam na viabilidade técnica e econômica de uma central de reciclagem de resíduos de madeira, dentre as quais vale citar:

  •       A quantidade e o tipo de resíduos existentes no mercado local;
  •       Os preços dos produtos praticados no mercado;
  •       A eficiência tecnológica do processo de produção;
  •       A capacidade de adaptação do empreendimento às mudanças do mercado;
  •       A correta identificação do mercado alvo e produtos; 

A melhor forma de empreender é através de um estudo prévio específico para todas essas variáveis citadas na forma de um Plano de Negócios.

  Gostaria de ter mais tópicos como esse? Confirme com um clique no botão +1 do Google logo abaixo.

Deixe um comentário

Não pare agora, continue lendo

Biodigestores
Gleysson B. Machado

Biodigestor Indiano

O biodigestor de campânula flutuante, também conhecido como Biodigestor Indiano, é composto de uma câmara de digestão e de um depósito de gás móvel e

veja Mais »