fbpx
janeiro 5, 2014
0
||||| 0 |||||
5599

Não Geração, Redução, Reutilização, reciclagem e tratamento de resíduos de madeira

A madeira é sem sombra de duvidas um dos recursos naturais mais abundantes do Planeta e mais utilizados na industria em toda a historia da humanidade. São diversas as utilidades que o ser humano encontrou para a madeira. Já nos tempos primórdios para a construção de casas, como fonte de calor, utensílios domésticos, … e com o desenvolvimento da sociedade a demanda por madeira só cresce. O setor de madeira é conhecido no mundo técnico como Sistema Agroindustrial da Madeira.

Aprenda a ter um negócio de sucesso com resíduos no Portal Resíduos SólidosEntende-se por Sistema Agroindustrial da Madeira (SAG Madeira) o conjunto dos segmentos ofertantes de produtos e serviços à silvicultura e à extração vegetal, a própria extração vegetal e a silvicultura, e as atividades processadoras e distribuidoras de produtos que, em sua elaboração, utilizam a madeira. ZYLBERSZTAJN(1995); JANK et al. (1995).

Assim, fazem parte do Sistema Agroindustrial da Madeira os seguintes conjuntos de atividades:

  • Indústrias que elaboram insumos a serem usados na extração vegetal e na silvicultura (como as indústrias de tratores, equipamentos, defensivos e fertilizantes), as empresas que comercializam esses produtos, e as prestadoras de serviços a estabelecimentos silvicultores e de extração vegetal;
  • Estabelecimentos silvicultores e de extração vegetal;
  • Segmentos industriais que realizam a primeira transformação industrial da madeira ou do carvão vegetal, caso de empresas siderúrgicas, de processamento mecânico da madeira (serrarias, fábricas de lâminas, compensados e chapas de fibras) e do setor de celulose e papel;
  • Segmentos industriais que realizam a transformação de produtos elaborados a partir da madeira (empresas moveleiras, gráfica e editoração, empresas de embalagens, por exemplo), ou distribuem os produtos do conjunto dos segmentos já mencionados.

Sabemos que todos os setores da sociedade produzem resíduos, e no SAG Madeira não seria diferente. Veja abaixo o diagrama sobre a definição do Sistema Agroindustrial da Madeira e imagine a quantidade de resíduos gerados por este setor.

Participe do melhor treinamento empresarial gratuito oferecido pelo Virapuru Training Center Lixo é Dinheiro

Treinamento Empresarial - Lixo é Dinheiro - 100% online e Gratuito

A partir da sanção da Política Nacional de Resíduos Sólidos, todos que trabalham neste setor precisam dar uma destinação final ambientalmente adequada para seus resíduos. Seja qual for a solução técnica adotada por essas empresas, ela deve obedecer a ordem de prioridade no gerenciamento de resíduos estabelecida pela Lei 12.305/2010 Art. 9° como mostra na figura abaixo.


A adoção da ordem de prioridade é baseada na experiência positiva de países como a Alemanha que além de estimular a não geração, redução, reutilização, reciclagem e tratamento dos resíduos, proíbe que qualquer resíduos de madeira seja depositado em aterros sanitários desde 2003.

Por exigência da Lei 12.305/2010, em todo o Brasil milhares de empresas do Sistema Agroindustrial da Madeira precisam demonstrar através de um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos como pretende fazer a destinação final ambientalmente adequada de seus resíduos.

A contabilização exata de dados sobre este setor é extremamente difícil no Brasil pelo fato de o setor não ser exatamente organizado. Hoje (jan/2014) não existe um sistema de quantificação dos resíduos gerados confiável a nível de Brasil com dados primários sistematizados, índices de geração de resíduos para as diferentes produções bem como localização geográfica das atividades. Por isso faremos uso das informações divulgadas no site da EMBRAPA de autoria do Prof. Da Esalq/USP – Piracicaba Carlos José Caetano Bacha para saber mais sobre o faturamento anual do setor.

“No período de 1993 a 1995, estima-se que o SAG Madeira teve faturamento médio anual mínimo de R$ 64,48 bilhões (a poder de compra de dezembro de 1998) e gerou volume de emprego anual médio de, pelo menos, 1,45 milhão de pessoas. Estima-se que, em 1995, o SAG Madeira foi responsável por, no mínimo, 3,26% do PIB brasileiro.

O SAG Madeira tem se caracterizado como um exportador líquido. Em 1998, ele gerou exportações de US$ 3,65 bilhões e importações de US$ 1,14 bilhão. Tais valores foram equivalentes a 7,14% e 1,98% do total das exportações e importações brasileiras, respectivamente.”

Levantamento feito por técnicos do Ministério do Meio Ambiente brasileiro publicado no Plano Nacional de Resíduos Sólidos chegam as seguintes conclusões:

“Estimou-se um total de 85.574.465 m³/ano de resíduo florestal em duas etapas da cadeia produtiva da madeira (colheita e processamento mecânico) (Tabela 19), não sendo contabilizada a geração na segunda indústria de transformação. Os resíduos das indústrias de papel e celulose totalizaram 10.916.640 t/ano de resíduos, não sendo quantificados especificamente para as regiões. Para o setor da silvicultura estimou-se uma geração potencial de 1604 MW/ano, não sendo contabilizado o potencial gerado, por exemplo, nas indústrias de celulose, como o caso do licor negro, que é utilizado como co-geração de energia nas indústrias de celulose.”

Destinação Final Ambientalmente adequada de Resíduos Sólidos de Madeira

Obedecendo a ordem de prioridade no gerenciamento de resíduos exigida pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, veremos a seguir que metodologias e tecnologias permitem transformar essas exigências em realidade no Brasil.

De um modo geral, independente de sua origem devemos observar a prioridade no gerenciamento para dar uma destinação correta aos resíduos de madeira que é a Não Geração, Redução, Reutilização, reciclagem e tratamento de resíduos de madeira.

A Cooperativa Sonho de Liberdade, criada por um ex-detento na cidade de Brasilia é um exemplo prático de como esse princípio pode ser aplicado e se tornar um negócio economicamente viável. Eles recebem todo e qualquer resíduos de madeira e uma uma primeira análise aproveitam toda e qualquer madeira que possa ser transformada em móveis ou em qualquer outro utensílio. Os resíduos que não possam ser aproveitados são então triturados e comercializados como matéria prima para a geração de energia térmica para uma industria da região. Até o final de 2013, a cooperativa empregava mais de 400 pessoas.

Não Geração e Redução de Resíduos de Madeira

Reduzir ou até mesmo não gerar resíduos significa entender que existe sempre uma maneira melhorar a fabricação de produtos. Somente um investimento em inovação e tecnologia é capaz de identificar maneiras mais eficientes de produção. Normalmente esses investimentos costumam ser altamente rentáveis a medida que proporciona uma grande economia de recursos ao evitar os desperdícios.

No setor de madeira é possível aplicar esses métodos desde a coleta de árvores até a fabricação de móveis. Em grande parte das serrarias espalhadas pelo Brasil existe um enorme desperdício de madeira. Em casos extremos, algumas serrarias chegam a desperdiçar mais de 40% de uma tora.

No vídeo abaixo é possível entender mais sobre o assunto.

Reutilização de resíduos de madeira

No setor de móveis é muito comum a reutilização de produtos. Isto acontece porque com as tecnologias atuais é possível restaurar boa parte dos móveis que temos no mercado e dessa forma estender o ciclo de vida do produto. A venda de móveis usados é muito comum na Europa e em países desenvolvidos.

Em alguns casos, dependendo da qualidade de fabricação dos produtos, também é possível reutilizar produtos de madeira da construção civil e de embalagens.

O grande gargalo para a reutilização é a exposição excessiva dos produtos de madeira as ações do tempo como chuva e sol. Por ser de origem orgânica, esse material tem o seu processo de decomposição adiantado perante essas fatores.

Reciclagem de resíduos de madeira

É no processamento mecânico que os resíduos de madeira encontram sua principal destinação. São inúmeras as possibilidades de reciclagem de produtos de madeira.

Muitos móveis antigos podem ser reciclados para a fabricação de novos produtos como outros móveis ou mesmo elementos para a construção civil como o MDF (MittelDichten Faserplatten) e OSB (Oriented Strand Board). Em alguns países como a Itália, a fabricação de MDF é feita totalmente a partir de resíduos do próprio MDF (PALADIN, 2002).

No exemplo do vídeo abaixo, temos uma fábrica de MDF e MDP que utiliza madeira virgem para fabricação.  O que muda aqui é somente a matéria prima utilizada, mas o processo de fabricação é o mesmo. Com mais investimentos em inovação e tecnologia, esta mesma fábrica poderia também aproveitar resíduos de MDF para a fabricação de novos MDF, como é feito na Itália.

Pequenas lascas de madeira resultantes do processo de fabricação de móveis ou tábuas em serrarias podem ser facilmente transformados em matéria prima para a forragem de parques infantis.

Tratamento de resíduos de madeira

Todo e qualquer resíduo de madeira tem um conteúdo energético alto e pode facilmente ser utilizado como combustível para a geração de energia, seja térmica ou elétrica. Neste processo ganha destaque a incineração dos resíduos de madeira. entre as grandes vantagens é a imensa redução de volume dos resíduos depois de tratados além do fato de os mesmos produzirem energia.

A depender da finalidade, os resíduos de madeira podem ser aproveitados em pedaços pequenos ou grandes. Em fornos de fabricas de cimento ou siderúrgicas, não existe a necessidade de trituração excessiva dos resíduos. Contudo, quanto menor forem as fracões melhor será o controle sobre a temperatura dos processos envolvidos. Veja no vídeo abaixo o exemplo de uma máquina de trituração de madeira móvel encontrada na Alemanha.

O poder calorífico da madeira seca é em média de 18 MJ/kg, comparável ao briket de lignito, um carvão com elevado teor de carbono em sua composição. A energia térmica de uma tonelada de óleo pode ser substituída por 2,4 toneladas de madeira (SALINGER, 1989).

Através da queima de madeira, são liberados gases como o gás carbônico (CO2). O argumento predileto dos que incineram madeira é afirmar que somente a quantidade de CO2 absorvido por uma árvore durante a sua vida será liberada, o que teria um equilíbrio ecológico. Um dos pontos negativos no processo de queima de madeira é a formação de gases de óxidos de nitrogênio (NOx), muito conhecidos como poluentes da atmosfera. Esse processo acontece especialmente na queima de produtos feitos a partir de madeira que necessitam de tratamento com colas contendo nitrogênio.

Na Europa é comum a utilização de centrais de aquecimento a base de pellets. Em uma situação ideal, os pellets são fabricados a partir de resíduos de madeira. Estes devem ser triturados até atingirem a fração ideal para a queima. Além do tamanho das partículas, o fator que esta diretamente ligado a qualidade dos Pellets é a umidade dos mesmos. Quanto mais seco melhor.

É preciso muita cautela na escolha dessa solução para o tratamento de resíduos de madeira. Se não houver o controle, pode-se criar um empreendimento que desmata florestas para a geracao de energia a partir da incineração, o que em nenhum momento é apontado por nenhuma instituição em qualquer parte do mundo como um solução adequada, pelo contrário, tal medida colocaria os (ir)responsáveis como criminosos ambientais. A incineração de resíduos de madeira só é aconselhável na completa ausência comprovada de falta de outras possibilidades de tratamento dos resíduos. Uma atenção especial deve ser dada as Leis de Energias Renováveis. Nao é aconselhável estimular a produção de energia a partir de qualquer recurso renovável, como no caso da madeira.

Uma outra forma de tratamento de resíduos de madeira se da no uso destes resíduos no processo de compostagem de resíduos orgânicos. Para isso podem ser utilizados resíduos de podas de arvores resultantes da limpeza urbana.

Empreendimento

Existem diversas variáveis que vão influenciar diretamente na viabilidade técnica e economica de uma central de reciclagem de resíduos de madeira, dentre as quais vale citar:

  • A quantidade e o tipo de resíduos existentes no mercado local;
  • Os preços dos produtos praticados no mercado;
  • A eficiência tecnológica do processo de produção;
  • A capacidade de adaptação do empreendimento à mudanças do mercado;
  • A correta identificação do mercado alvo e produtos;
  • entre outras

A melhor forma de empreender é através de um estudo prévio específico para todas essas variáveis acima citadas na forma de um Plano de Negócios. Os profissionais do Portal Resíduos Sólidos estao aptos a desenvolverem Planos de Negócio com qualidade comprovada. Entre em contato para receber uma proposta.

Consultoria e Visitas Técnicas

O Portal Resíduos Sólidos organiza excursões técnicas para visitar centrais de reciclagem na Europa para grupos com no mínimo 5 pessoas. Entre em contato através do email [email protected] com o seu telefone (fixo e móvel), nome e site da empresa, data prevista para a excursão e se possível, o nome das pessoas que irão participar.

Além disso, oferecemos consultoria para a concepção de projetos como os descritos aqui, desde a sua fase de confecção do Plano de Negócio.

Conheça mais sobre tecnologias de reciclagem clicando em uma das figuras abaixo:

  Gostaria de ter mais tópicos como esse? Confirme com um clique no botão +1 do Google logo abaixo.

Share this:
Tags:

About gleysson

gleysson

Sou especialista em transformar problemas ambientais em negócios sustentáveis. Formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios

  • LinkedIn
  • Email

Add Comment