fbpx
setembro 19, 2016
||||| 3 |||||
12360

O impacto causado pelos lixões à céu aberto

O que é um lixão a céu aberto? Qual a diferença entre lixão e aterro sanitário? Que impactos negativos o lixo pode causar na natureza? Saiba como o acúmulo de resíduos pode prejudicar você!

Quem tem o sonho de visitar alguma praia paradisíaca da República Dominicana, pode ficar decepcionado. No mês de julho de 2018, a praia de Santo Domingo foi invadida por toneladas de lixo. Por causa disso, as garrafas plásticas, papéis e restos de alimentos se movimentavam com as ondas do mar. A quantidade de materiais era tão grande que foi preciso utilizar pás e escavadeiras para limpar a área.

Inegavelmente, os resíduos estão alterando de forma drástica as praias paradisíacas da região. De acordo com os responsáveis pela limpeza, isso ocorre sempre porque as praias são usadas como locais de despejo. Dessa forma, as chuvas levam o lixão a céu aberto para os oceanos. Isso mostra que um produto não desaparece quando é jogado fora. Na verdade, os objetos descartados estão causando a morte lenta e gradual de ecossistemas.

Águas impróprias para consumo, maus odores por todos os lugares, opções reduzidas de lazer. Sem dúvida, esses são um dos impactos causados pelo lixão a céu aberto. Um problema tão grave, pode ter soluções simples. Afinal, grande parte dos materiais presentes nos lixões podem ser reaproveitados. Quer saber como? Leia sobre RECICLAGEM.

Participe do melhor treinamento empresarial gratuito oferecido pelo Virapuru Training Center Lixo é Dinheiro

Treinamento Empresarial - Lixo é Dinheiro - 100% online e Gratuito

“Não importa o quanto você vá devagar desde que não pare.” Confúcio

O que é um lixão a céu aberto?

O lixão a céu aberto é o acúmulo de resíduos sólidos numa determinada área sem qualquer planejamento ou proteção. Nesses lugares, os restos de alimentos podem se misturar com descartes de hospitais. Como resultado, a matéria orgânica vira um meio para a proliferação de microrganismos causadores de doenças. O contato do lixo com insetos e outros animais, espalham doenças como cólera, hepatite e leptospirose. Além disso, a decomposição da matéria orgânica gera chorume, que contamina os lençóis freáticos ao ser infiltrado com a água da chuva.

Há décadas, era comum transportar o lixo para  áreas distantes das cidades e deixá-lo ao ar livre. Com toda a certeza, os lixões a céu aberto eram uma alternativa mais fácil para (não) resolver o problema do lixo. Surpreendentemente, em 1954 havia uma lei que proibia lixões no Brasil. Essa lei foi revogada e outras semelhantes foram criadas, nos anos de 1981, 1988, 2010 e 2014. Além disso, em 2017 entrou em tramitação no congresso nacional uma lei para prorrogar o fim dos lixões para 2021. Até o momento, essa lei não entrou em vigor.

Apesar de todas as legislações proibindo o uso de lixões, eles continuaram sendo utilizados entre 1954 e 2017. Após 37 anos de descaso, os prefeitos eleitos em 2016 estão tentando prorrogar a proibição para 2021. Sendo assim, o que farão os prefeitos eleitos em 2020? É possível que em 2021 a câmara dos deputados aprove outra prorrogação. Em vista disso, quantas doenças e mortes de animais poderiam ser evitadas?

O que é o aterro sanitário?

O Aterro sanitário é uma obra de engenharia que tem como objetivo tratar os resíduos sólidos de forma ambientalmente adequada. Em outras palavras, é o destino final de alguns materiais descartados.Existem dois tipos de aterro: os de classe I e os de classe II. Os aterros de classe I são feitos especialmente para receber resíduos perigosos: inflamáveis, patogênicos, corrosivos, tóxicos ou reativos. Já os aterros de classe II são projetados para receber resíduos não perigosos, como sucata ou matéria orgânica.  

A construção de um aterro sanitário deve obedecer critérios específicos para evitar danos à saúde pública e ao meio ambiente. Por isso, os projetos de aterro devem estar em conformidade com a Associação brasileira de normas técnicas (ABNT). Dessa forma, resíduos destinados ao aterro são separados de acordo com suas características e compactados para economizar espaço. Nessa obra há sistemas de drenagem para gases e chorume.  

Os aterros são considerados como a melhor solução para o excesso de resíduos. No entanto, grande parte dos materiais destinados aos aterros sanitários são recicláveis. Segundo o IPEA, o Brasil perde 8 bilhões por ano por não reciclar seus materiais. Certamente, se houvesse um maior investimento em reciclagem, a quantidade de resíduos de um aterro sanitário diminuiria.   

 

Saiba mais sobre um aterro sanitário

Partes de um aterro sanitário

Qual a diferença entre lixão e aterro sanitário?

As diferenças entre o lixão a céu aberto e o aterro sanitário são gritantes. O aterro é uma obra planejada e supervisionada, que tem como objetivo a destinação ambientalmente adequada de resíduos sólidos. No Brasil a vida útil do aterro, definida pela norma ABNT NBR 13896/97, é de no mínimo 10 anos. No entanto, a  redução e reutilização de resíduos diminui o volume de lixo no aterro, aumentando dessa forma, a sua durabilidade.

Já os lixões a céu aberto podem se formar em qualquer lugar, sem proteção ou planejamento. Basta que os resíduos sejam despejados e esquecidos. Além disso, quando os resíduos dos lixões são cobertos com argila, terra e grama, forma-se o aterro controlado. Essa técnica não evita a contaminação do lençol freático. Como o aterro controlado não realiza a impermeabilização do solo, não deve ser confundido com aterro sanitário.

Que impactos negativos o lixo pode causar na natureza?

No lixão a céu aberto, há bactérias responsáveis pela decomposição da matéria orgânica. Consequentemente, a reação química produz gás metano (CH4), que é responsável pelo aquecimento global. Além disso, quando em contato com o ar, pode provocar incêndios e explosões. A decomposição da matéria orgânica também é responsável por produzir chorume. Esse líquido percolado apresenta a mesma composição dos detritos descartados e pode apresentar concentrações de metais pesados. Dessa forma, no período chuvoso, o chorume pode se infiltrar no solo e contaminar as águas subterrâneas.

O descarte inadequado de resíduos sólidos pode atrair animais, principalmente ratos portadores da bactéria leptospira. Por serem eliminadas na urina, essas bactérias se espalham por vários lugares. Em virtude disso, quando há enchentes, pessoas com ferimentos em contato com a água correm o risco de contrair leptospirose. Os principais sintomas são febre, dor de cabeça e dores pelo corpo. Em casos mais graves, os sintomas podem ser meningite, insuficiência renal e o paciente pode ir a óbito.

Os materiais descartados pertos dos cursos d’água, além de transmitirem doenças, são os principais responsáveis pela poluição hídrica. Segundo a Agência Europeia do Ambiente, a cada ano 10 milhões de toneladas de lixo vão parar nos oceanos, no mundo inteiro. Por causa disso, muitos animais marinhos estão morrendo por ingestão de resíduos e asfixia.  

O lixão a céu aberto e o aterro sanitário tem algo em comum. Os materiais destinados à esses dois lugares podem ser comercializados e gerar receita. Desse modo, a reciclagem pode se tornar o sustento para quem não tem o que comer. Além de gerar fonte de renda, diminui a quantidade de lixões e aterros, amenizando os impactos ambientais. Quer saber como ter mais qualidade de vida? Leia sobre RECICLAGEM. aqui.

Referências

AGÊNCIA EUROPEIA DO AMBIENTE. O lixo nos nossos mares. Disponível em: <https://www.eea.europa.eu/pt/sinais-da-aea/sinais-2014/em-analise/o-lixo-nos-nossos-mares > Acessado em 29/08/2018

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Impasse adia para quarta análise de prorrogação de prazo de lixões. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/POLITICA/523907-IMPASSE-ADIA-PARA-QUARTA-ANALISE-DE-PRORROGACAO-DE-PRAZO-DOS-LIXOES.html > Acessado em 23/08/2018

CULTURAMIX.COM. Aterro sanitário: Suas definições e conceitos. Disponível em:  <http://meioambiente.culturamix.com/gestao-ambiental/aterro-sanitario-suas-definicoes-e-conceitos > Acessado em 23/08/2018

IPEA INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Brasil perde 8 bilhões por não reciclar. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&id=1170 > Acessado em 23/08/2018

JUS.COM.BR. Projeto de lei prorroga fim dos lixões para 2021. Disponível em: <https://jus.com.br/artigos/57761/projeto-de-lei-prorroga-fim-dos-lixoes-para-2021 > Acessado em 23/08/2018

PORTAL RESÍDUOS SÓLIDOS. Lixão (Vazadouro) a céu aberto. Disponível em: <https://portalresiduossolidos.com/lixao-vazadouro-a-ceu-aberto/ > Acessado em 23/08/2018

PORTAL RESÍDUOS SÓLIDOS. Aterro sanitário. Disponível em <https://portalresiduossolidos.com/aterro-sanitario/ > Acessado em 23/08/2018

PORTAL SANEAMENTO BÁSICO. Aterros Sanitários. Disponível em: <https://www.saneamentobasico.com.br/aterros-sanitarios/ > Acessado em 29/08/2018

REVISTA GALILEU. Toneladas de lixo invadem praias da República Dominicana. Disponívem em: <https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2018/07/toneladas-de-lixo-e-plastico-invadem-praias-da-republica-dominicana.html > Acessado em 23/08/2018

Atualizado em 23/08/18 por Gabriela Lamendola, bacharel licenciada em Ciências Biológicas e pós graduada em Gestão Ambiental.

 

Share this:
Tags:

About Saulo Araujo

Saulo Araujo

  • Email