o dilema de todos que querem viver trabalhando com projetos socioambientais e sustentáveis: ajurdar e passar apertos financeiros ou ganhar dinheiro e depois mergulhar na causa

não é preciso viver na pobreza para ser ativista socioambiental, podemos empreender projetos rentáveis que retornam para o projeto e para as pessoas assistidas e as ações abrangentes