fbpx
Maio 12, 2013
0
||||| 2 |||||
4664

Reciclagem de pneus

O crescimento da população no planeta aliado com o desenvolvimento de países favorecem o aumento de consumo em todas as áreas. Em todas as áreas da indústria é possível constatar um aumento da produção. Preocupados com a saúde do planeta, vários países desenvolvem legislações cada vez mais duras no sentido de reaproveitar os resíduos deixados após o descarte desses produtos.

Em toda a história do setor de automóveis esse consumo sempre avança. Depois de sucateados, a reciclagem de automóveis pode se tornar um grande negócio.

Aprenda a ter um negócio de sucesso com resíduos no Portal Resíduos Sólidos

A vida útil de um veículo automotivo pode ser medida em km. Isso se explica porque depois de uma certa quantidade de trecho rodado, o veículo automotivo começa a apresentar problemas de desgaste. Em países desenvolvidos, a vida útil de um automóvel pequeno chega a 350 mil km. Em outros países a vida útil vai até o limite máximo que o veículo possa aguentar, algumas vezes ultrapassando valores de 450 mil km.

Entre os resíduos que um veículo automotivo produz durante sua vida útil podemos citar os pneus como os principais. Em média, a cada 40 mil km rodados um veículo precisa trocar seus 4 pneus. Isso significa que se tomarmos um veículo que tenha uma vida útil de 400 mil km, este irá aumentar o número de pneus velhos em um país em 40 pneus.

Vídeo Aulas com conteúdo exclusivo. Faça sua assinatura agora mesmo.

Segundo o Departamento Nacional de Trânsito brasileiro – DENATRAN, em dezembro de 2013 o Brasil possui uma frota total de veículos, incluindo automóveis, motocicletas, caminhonetas, utilitários, microônibus, tratores, … de 81.600.729 unidades. Se imaginarmos que um veículo rode por ano em média 20 mil km, a cada dois anos todos esses veículos precisaram trocar seus 4 pneus (2 pneus por ano) e com isso teremos uma produção anual de pneus velhos de incríveis 163.201.458, isso mesmo, mais de 160 milhões de pneus velhos todo ano. Conforme visto anteriormente, essa quantidade só tende a aumentar.

Como no Brasil a reciclagem de pneus ainda é praticamente inexistente, poderíamos fazer um cálculo aproximado da quantidade de pneus existentes no país multiplicando a frota de veículos (número exato forcecido pelo DENATRAN) pelo número de anos que existem veículos no Brasil e o número 2 (2 pneus por ano). Esse valor seria com certeza incrivelmente alto.

Essa constatação gera por um lado no mínimo uma preocupação muito grande. Inclusive para os gestores públicos nas 3 esferas do poder público. A prova maior disso é a inclusão da indústria de pneus no programa obrigatório de implantação da Logística Reversa em acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010 Art. 33° Inciso III). Por outro lado, a boa notícia é que com tecnologias modernas, quase 100% de um pneu pode ser reciclado e dessa forma colocar pneus em aterros sanitários ou incinerá-los é um desperdício de matéria prima e contribui para desmatamentos e extração de ferro, na medida que a fabricação de pneus precisa desses materiais.

Estrutura de um pneu radial de um veículo de passeio

Tendo em vista que reciclar significa separar e tratar as substancias que compõem um determinado produto precisaremos primeiro entender de que material um pneu é composto para depois entendermos o processo de reciclagem.

Estrutura de um pneu radial de um veículo de passeio

Estrutura de um pneu radial de um veículo de passeio

  • Banda de rodagem: Por ter o contato direto com o solo precisa ser fabricada de um composto de borracha que seja altamente resistente ao desgaste com desenhos especiais que proporcionem boa tração, estabilidade e segurança ao veículo.
  • Cintas de aço: Funcionam como estabilizadores da carcaça dos pneus radiais.
  • Talão: Tem a função de manter o pneu acoplado ao aro sem permitir o vazamento do ar. Tem o formato de anel e é constituído por vários arames de aço de alta resistência unidos e recobertos por borracha.
  • Carcaça de lona: é a estrutura interna do pneu, responsável pela retenção do ar sob pressão e com função de suportar o peso do veículo; é constituída por lonas de poliéster, náilon ou aço, disposta na diagonal ou radial.
  • Parede lateral ou flanco: composto por borrachas de alto grau de flexibilidade, sua função é proteger a carcaça.

Reciclagem de pneus

O processo de reciclagem de pneus consiste em um primeiro momento na separação das substancias que o compõem e posterior tratamento dessas substancias para uso específico.

O processo de separação pode funcionar por exemplo da seguinte forma:

Processo de Separacao das substancias que compõem um pneu

Processo de Separacao das substancias que compõem um pneu

Os pneus maiores, como por exemplo de caminhões precisam ser inicialmente triturados separadamente. Após essa primeira fase, os pneus de automóveis e veículos menos podem ser adicionados aos pneus de caminhões triturados para passar pelo processo de granulação. Após isso, os metais podem ser extraídos por exemplo com o uso de um equipamento conhecido como separador magnético. Retirado os metais, as empresas possuem formas diferentes para retirar os tecidos da mistura, restando finalmente somente o composto da borracha.

Granulados de pneus velhos

Granulados de pneus velhos

Após a separação, cada substância é aproveitado por uma indústria específica. O aço é encaminhado para a industria siderúrgica e a borracha, em maior quantidade pode receber diversos fins como ser usada na fabricação de pisos de quadras de esporte, solas de calcados, isolamento para telhados e paredes na construção civil, indústria de asfalto ou mesmo para a fabricação de novos pneus. Através de processos de decomposição térmica também é possível obter óleos e fuligem.

Empreendimentos no setor

A variedade de tecnologias para o aproveitamento da borracha pode ser um fator positivo ou negativo para o empreendedor. Isso porque, cada fabricante de uma tecnologia irá tentar vender seus produtos sem se preocupar muito se o mercado onde se pretende atuar tem demanda para aquele tipo de produto. Dessa forma, não adianta muito ter uma usina de reciclagem de pneus que transforma o composto de borracha em solas de calcados se esses calcados ficarem mais caros do que os já existentes no local.

Exemplo de uma Usina de Reciclagem de Pneus

Exemplo de uma Usina de Reciclagem de Pneus

O Modelo de Negócio ideal com sua respectiva viabilidade econômica deve ser identificado através da elaboração de um Plano de Negócios especifico por profissionais competentes. O Portal Resíduos Sólidos oferece esse serviço para os mais diversos negócios do setor de resíduos. Para saber mais, entre em contato por email ([email protected]).

Consultoria e Visitas Técnicas

O Portal Resíduos Sólidos organiza excursões técnicas para visitar centrais de reciclagem na Europa para grupos com no mínimo 5 pessoas. Entre em contato através do email [email protected] com o seu telefone (fixo e móvel), nome e site da empresa, data prevista para a excursão e se possível, o nome das pessoas que irão participar.

Além disso, oferecemos consultoria para a concepção de projetos como os descritos aqui, desde a sua fase de confecção do Plano de Negócio.

No vídeo abaixo você vê um exemplo prático do uso de produtos reciclados originários da reciclagem de pneus.

Conheça mais tecnologias de reciclagem clicando em uma das figuras abaixo:

Gostou do tópico? Clique no botão +1 do google logo abaixo

Como se tornar um especialista na área e se destacar no mercado?

Estar preparado para uma oportunidade é um passo fundamental para alcançar o sucesso. Fazer a diferença e se destacar no mercado, esse é o nosso objetivo. O Portal Resíduos Sólidos, o maior site voltado exclusivamente para o mercado de resíduos sólidos, possui diversos cursos e conteúdos exclusivos que irá impulsionar seu conhecimento, e proporcionar uma experiência respeitada em todo segmento. Conheça a Área Vip do Portal Resíduos Sólidos, conteúdos de altíssima qualidade e com preços acessíveis, experimente nossos planos e brilhe no mercado. Explore seu potencial, seja você o protagonista da sua própria história.

Share this:
Tags:

About gleysson

gleysson

Sou especialista em transformar problemas ambientais em negócios sustentáveis. Formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios

  • LinkedIn
  • Email

Add Comment