RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS ELETROELETRÔNICOS – REEE

O que são Resíduos de Equipamentos Eletro-Eletrônicos - REEE? Em que categorias os resíduos de equipamentos eletroeletrônicos se dividem? Quais materiais podem ser reciclados a partir de REEE? Como posso ganhar dinheiro com a reciclagem de equipamentos eletrônicos? Como me especializar para trabalhar com resíduos de equipamentos eletroeletrônicos?

COMPARTILHE

Resíduos de equipamentos eletroeletrônicos. A quantidade de resíduos eletrônicos gerados em todo o mundo tem aumentado rapidamente. Em 2019, um recorde de 53,6 milhões de toneladas métricas de resíduos eletrônicos foi gerado, um aumento de 21% em apenas cinco anos . Esse aumento é alimentado principalmente por maiores taxas de consumo de equipamentos elétricos e eletrônicos, ciclos de vida curtos e poucas opções de reparo .

Os resíduos eletrônicos são um problema porque contêm aditivos tóxicos ou substâncias perigosas, como mercúrio, que podem danificar o cérebro e/ou o sistema nervoso humano . Além disso, se descartados incorretamente, esses resíduos tóxicos podem contaminar o solo e os lençóis freáticos, colocando em risco a saúde pública .

A reciclagem de resíduos de equipamentos eletroeletrônicos é essencial para evitar danos ao meio ambiente. Ao separar e reciclar metais, plásticos e outros materiais valiosos, podemos reduzir a extração de recursos naturais, minimizar a poluição e contribuir para a economia circular.
O descarte adequado de resíduos de equipamentos eletrônicos é crucial. Esses dispositivos contêm materiais perigosos, como metais pesados e produtos químicos, que podem causar danos ao solo, água e ar se não forem tratados corretamente. A reciclagem e a reutilização desses materiais ajudam a proteger o meio ambiente e a saúde pública.

Soluções são necessárias para lidar com esse problema crescente. A reciclagem é uma solução importante, pois pode ajudar a recuperar materiais valiosos e reduzir o impacto ambiental dos resíduos eletrônicos. Além disso, a reciclagem pode gerar novos modelos de negócio e empregos, contribuindo para uma economia circular . É importante que todos façam sua parte para garantir que os resíduos eletrônicos sejam descartados corretamente e reciclados sempre que possível.

No contexto da sustentabilidade, a extração de ouro de resíduos eletrônicos é uma estratégia revolucionária. Esta prática não só combate o acúmulo de e-waste, mas também garante o reaproveitamento de um recurso valioso. Empresas que se aventuram neste campo podem colher benefícios econômicos significativos, ao mesmo tempo em que promovem uma gestão ambiental mais responsável.
A extração de ouro de resíduos eletrônicos representa um nicho de mercado com potencial imenso. Além de contribuir para a redução do lixo eletrônico, ela permite a reutilização de um recurso valioso, abrindo caminho para inovações em diversos setores, desde eletrônicos até joalheria, e destacando-se como uma oportunidade rentável para empreendedores sustentáveis.
Não precisa investir em galpão e nem fazer faculdade. O comércio de recicláveis é para quem quer ganhar dinheiro rapidamente

O que são Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos – REEE?

Antes de se falar em resíduos de equipamentos eletroeletrônicos, a diretiva europeia define Equipamentos Eletroeletrônicos da seguinte forma:

  • Diretiva 2002/96/CE do Parlamento Europeu Art. 3° a) “Equipamentos eléctricos e electrónicos”, ou “EEE”: “equipamentos cujo adequado funcionamento depende de correntes eléctricas ou campos electromagnéticos. Bem como os equipamentos para geração, transferência e medição dessas correntes e campos, pertencentes às categorias definidas no anexo I A”.

Atualmente a definição de Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos – REEE mais aceita atualmente vem da Comunidade Européia. A definição de resíduos de equipamentos eletro-eletrônicos é portanto:

  • Diretiva 2002/96/CE do Parlamento Europeu Art. 3° b) “Resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos” ou “REEE”: “equipamentos eléctricos ou electrónicos que constituem resíduos, nos termos da alínea a) do artigo 1º da Directiva 75/442/CEE. Inclui todos os componentes, subconjuntos e materiais consumíveis que fazem parte do produto no momento em que este é descartado”

A composição dos equipamentos eletrônicos que se tornarão resíduos é um outro fator de relevância. Isso porque, são extremamente peculiares e individuais para cada categoria de equipamento. Celulares costumam ter uma proporção de materiais com alto valor agregado (metais nobres), do que impressoras, constituídas basicamente por plástico.

A reciclagem de resíduos de equipamentos eletrônicos é fundamental para evitar o acúmulo de lixo eletrônico. Componentes como placas de circuito impresso, que contêm metais preciosos como ouro e prata, podem ser recuperados e reutilizados. Além disso, baterias de íons de lítio presentes em smartphones e laptops podem ser recicladas para a extração de lítio, cobalto e outros materiais valiosos.
A reutilização de equipamentos eletrônicos usados também é uma prática importante. Dispositivos funcionais podem ser revendidos ou doados para instituições de caridade, estendendo sua vida útil. A reciclagem de monitores e TVs antigas permite a recuperação de vidro, plásticos e metais, evitando a contaminação do solo por substâncias tóxicas.

Em que categorias os resíduos de equipamentos eletroeletrônicos se dividem? 

Os resíduos de equipamentos eletroeletrônicos (REEE) se dividem em 10 categorias de acordo com a classificação europeia estabelecida pela Diretiva 2012/19/UE do Parlamento Europeu. Essas categorias são:

  • Grande equipamento de uso doméstico: inclui aparelhos como geladeiras, fogões, máquinas de lavar roupa, secadoras, etc.
  • Pequenos equipamentos de uso doméstico: engloba dispositivos como aspiradores de pó, torradeiras, liquidificadores, cafeteiras, etc.
  • Equipamentos de TI e telecomunicações: abrange computadores, laptops, tablets, telefones celulares, telefones fixos, roteadores, etc.
  • Equipamentos de consumo: inclui TVs, aparelhos de som, câmeras, consoles de videogame, DVDs, etc.
  • Lâmpadas: compreende lâmpadas fluorescentes, lâmpadas LED, lâmpadas de descarga de gás, etc.
  • Ferramentas elétricas e eletrônicas: engloba furadeiras, serras elétricas, lixadeiras, máquinas de solda, etc.
  • Brinquedos e equipamentos de lazer e esportes: abrange brinquedos eletrônicos, consoles de jogos, equipamentos esportivos eletrônicos, etc.
  • Dispositivos médicos: inclui equipamentos eletrônicos médicos, aparelhos de monitoramento, equipamentos de diagnóstico, etc.
  • Instrumentos de monitoramento e controle: engloba medidores de temperatura, medidores de pressão, detectores de fumaça, sensores, etc.
  • Equipamentos automáticos de distribuição: abrange máquinas de venda automática, caixas eletrônicos, etc.

Essa classificação foi estabelecida pela Diretiva 2012/19/UE do Parlamento Europeu e do Conselho de 4 de julho de 2012 sobre resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos. Essa diretiva visa regulamentar a gestão adequada dos REEE e promover a reciclagem, reutilização e recuperação dos materiais presentes nesses equipamentos, a fim de reduzir o impacto ambiental e proteger a saúde humana.

A reciclagem de resíduos de equipamentos eletrônicos, como monitores, é essencial para a recuperação de terras raras. Monitores antigos contêm materiais como o ítrio e o neodímio, que são exemplos de terras raras. A reciclagem adequada desses monitores permite a reutilização desses materiais valiosos em novos produtos, reduzindo a dependência da mineração desses recursos escassos.
A reciclagem de monitores de computador é uma forma sustentável de recuperar terras raras. Elementos como o cério e o lantânio, considerados terras raras, estão presentes nas telas dos monitores. Ao reciclar esses dispositivos, podemos reduzir a necessidade de mineração desses recursos naturais limitados e contribuir para a preservação do meio ambiente.

Quais materiais podem ser reciclados a partir de REEE?

A reciclagem de Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos (REEE) pode envolver a recuperação de diversos materiais valiosos. Alguns dos materiais comumente reciclados a partir de REEE incluem:

  • Metais: Os equipamentos eletrônicos contêm uma variedade de metais que podem ser reciclados, como cobre, alumínio, ferro, níquel, zinco e chumbo. Esses metais são separados e processados para serem reutilizados na fabricação de novos produtos.
  • Metais preciosos: Muitos dispositivos eletrônicos possuem componentes que contêm metais preciosos, como ouro, prata, paládio e platina. Esses metais são recuperados durante o processo de reciclagem e podem ser refinados para serem utilizados em joias, eletrônicos e outros produtos de alta tecnologia.
  • Plásticos: Os REEE também contêm diferentes tipos de plásticos, como policarbonato, polietileno, polipropileno e ABS (acrilonitrila butadieno estireno). Os plásticos são separados, triturados e processados em grânulos para serem usados na fabricação de novos produtos plásticos.
  • Vidro: Alguns equipamentos eletrônicos possuem componentes de vidro, como monitores e telas. O vidro é reciclado para produzir novos itens de vidro.
  • Baterias: Muitos dispositivos eletrônicos contêm baterias, como baterias de íons de lítio, níquel-cádmio e chumbo-ácido. Essas baterias são separadas e processadas para recuperar materiais como lítio, níquel, cobalto e chumbo, que podem ser reutilizados na fabricação de novas baterias ou em outros produtos.
  • Componentes eletrônicos: Além dos materiais básicos, componentes eletrônicos específicos, como circuitos integrados, resistores, capacitores e transistores, podem ser removidos e reutilizados em outros dispositivos eletrônicos.

É importante ressaltar que a capacidade de reciclar esses materiais pode variar dependendo da infraestrutura disponível e da tecnologia utilizada nas instalações de reciclagem. Além disso, alguns materiais podem exigir processos de reciclagem mais avançados e especializados para a sua recuperação.

Os resíduos de equipamentos eletrônicos oferecem uma ampla variedade de materiais passíveis de reciclagem. Metais ferrosos e não ferrosos, plásticos diversos, vidro, baterias recarregáveis e componentes eletrônicos são apenas alguns exemplos. A reciclagem desses materiais permite a reutilização e a redução da extração de recursos naturais, além de minimizar a poluição e os impactos ambientais.
A reciclagem de resíduos de equipamentos eletrônicos é uma fonte rica de materiais recuperáveis. Metais como ouro, prata, cobre e alumínio podem ser extraídos de placas de circuito impresso, fios elétricos e outros componentes. Além disso, plásticos de alta qualidade, vidro e até mesmo materiais preciosos como paládio e platina podem ser recuperados, contribuindo para a preservação dos recursos naturais.

Como posso ganhar dinheiro com a reciclagem de equipamentos eletrônicos?

Existem várias maneiras de ganhar dinheiro com a reciclagem de equipamentos eletrônicos. Aqui estão algumas opções:

  • Revenda de equipamentos eletrônicos usados: Você pode comprar equipamentos eletrônicos usados por um preço baixo e revendê-los a preços mais altos, seja como um revendedor de produtos usados online, em lojas físicas ou em feiras e eventos específicos. Certifique-se de testar e garantir a funcionalidade dos dispositivos antes de vendê-los.
  • Recuperação de materiais valiosos: Ao desmontar os equipamentos eletrônicos, você pode recuperar materiais valiosos, como metais preciosos (ouro, prata, cobre), plásticos de alto valor, baterias, entre outros. Esses materiais podem ser vendidos para refinarias, empresas de reciclagem ou diretamente para fabricantes que os utilizam como matéria-prima.
  • Parcerias com empresas de reciclagem: Estabeleça parcerias com empresas especializadas em reciclagem de equipamentos eletrônicos. Você pode fornecer os equipamentos eletrônicos coletados e receber uma compensação financeira com base na quantidade e qualidade dos materiais recicláveis recuperados.
  • Serviços de coleta e reciclagem: Ofereça serviços de coleta e reciclagem de equipamentos eletrônicos para empresas, instituições ou até mesmo para consumidores individuais. Você pode cobrar uma taxa pelos serviços de recolhimento, desmontagem e destinação correta dos resíduos eletrônicos.
  • Venda de componentes eletrônicos: Se você tiver conhecimentos técnicos em eletrônica, pode separar e vender componentes eletrônicos funcionais, como circuitos integrados, transistores, resistores, capacitores, entre outros. Esses componentes podem ser vendidos para hobistas, estudantes, reparadores ou até mesmo para fabricantes que precisam de peças de reposição.
  • Revenda de peças e acessórios: Além dos equipamentos eletrônicos completos, você também pode revender peças e acessórios específicos, como telas, teclados, adaptadores, cabos, entre outros. Essas peças podem ser vendidas como substitutos para reparos ou para complementar outros dispositivos.

É importante ressaltar que o sucesso e a lucratividade nessa área dependem de vários fatores, como a obtenção de uma fonte constante de equipamentos eletrônicos usados, a conformidade com as regulamentações ambientais, a capacidade de estabelecer parcerias e contatos no mercado, além do conhecimento técnico necessário para lidar com os equipamentos eletrônicos e seus componentes.

Além dos dispositivos eletrônicos, componentes individuais também podem ser recuperados e revendidos. Por exemplo, placas de circuito impresso, memórias RAM, processadores e discos rígidos podem ser retirados de equipamentos antigos, testados e vendidos separadamente para uso em upgrades de sistemas ou reparos.
Muitos equipamentos eletrônicos usados podem ser recuperados e revendidos como produtos de segunda mão. Isso inclui smartphones, laptops, tablets, videogames, câmeras, entre outros. Esses dispositivos podem passar por uma avaliação, limpeza e, se necessário, reparos antes de serem revendidos a preços mais acessíveis, proporcionando uma opção econômica e sustentável para os consumidores.

Como me especializar para trabalhar com resíduos de equipamentos eletroeletrônicos?

Para se especializar em resíduos de equipamentos eletroeletrônicos (REEE), é necessário adquirir conhecimentos abrangentes sobre a destinação adequada e o gerenciamento de toda a cadeia desses resíduos. Os desafios nesse campo incluem a correta separação e triagem dos componentes, a logística reversa, o cumprimento das regulamentações ambientais e a conscientização sobre a importância da reciclagem.

Há uma crescente demanda por profissionais que compreendam os desafios e as soluções envolvidas no gerenciamento de REEE. O diferencial de dominar o comércio de recicláveis ou atuar como agente de negócios é identificar oportunidades de parceria com usinas de reciclagem, empresas de remanufatura e outros players do setor. Essas parcerias impulsionam a economia circular, permitindo a recuperação de materiais valiosos e a redução do impacto ambiental.

Nesse contexto, o Profissional Internacional em Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PIGRS) se destaca como o melhor curso do mercado para aqueles que desejam trabalhar profissionalmente com REEE. O curso abrange todas as etapas do gerenciamento de resíduos sólidos, incluindo uma ênfase especial nos desafios e nas oportunidades relacionadas aos REEE.

Com foco na sustentabilidade, a Virapuru incorpora práticas ecológicas em seus planos, alinhando o negócio com preocupações ambientais crescentes.
A Virapuru possui vasta experiência na criação de Planos de Negócios para usinas de reciclagem, garantindo abordagens realistas e eficazes.

O PIGRS oferece conhecimentos atualizados sobre as tecnologias de reciclagem de REEE, estratégias de coleta e triagem, regulamentações específicas e melhores práticas internacionais. Além disso, o curso aborda o desenvolvimento de negócios sustentáveis nesse setor em expansão.

Com instrutores especializados e uma abordagem prática, o PIGRS capacita os profissionais a atuarem com competência e eficiência no gerenciamento de resíduos de equipamentos eletroeletrônicos. O curso também oferece uma visão internacional das melhores práticas adotadas em diversos países, permitindo aos profissionais uma perspectiva global e uma vantagem competitiva no mercado.

Ao se especializar por meio do PIGRS, os profissionais estarão preparados para enfrentar os desafios da destinação de REEE e identificar oportunidades de negócios nesse setor em constante crescimento. O certificado internacional emitido pelo curso agrega valor ao currículo e aumenta as chances de sucesso e reconhecimento profissional nessa área tão relevante para a economia circular e a sustentabilidade ambiental.

Descubra o mundo da gestão de resíduos com a VirapuruFlix! Acesse cursos e mentorias exclusivos sobre reciclagem, tratamento de resíduos e sustentabilidade. Ideal para empresários e ambientalistas que buscam inovar e liderar no mercado verde.
Amplie seu conhecimento em resíduos sólidos com a VirapuruFlix. Com conteúdo técnico avançado, é perfeito para acadêmicos e profissionais do setor ambiental. Assine e mantenha-se atualizado com as melhores práticas e tecnologias!
Gleysson B. Machado

Gleysson B. Machado

Sou especialista em transformar problemas ambientais em negócios sustentáveis. Formado em Dip. Ing. Verfahrenstechnik (Eng. Química) pela Universidade de Ciências Aplicadas de Frankfurt/M na Alemanha com especialização e experiência em Tecnologias para geração de Energia e Engenharia Ambiental. Larga experiência em Resíduos Sólidos com foco em Biodigestores Anaeróbios
Agora é a sua vez. Você acha que consegue contribuir com o conteúdo acima? Deixe seu comentário!

NOSSOS CURSOS

LEIA TAMBÉM

O Portal Resíduos Sólidos é a maior referência sobre resíduos sólidos em língua portuguesa para trabalho acadêmicos
Tecnologias
Gleysson B. Machado

A USINA DE QUEIMA DE LIXO DE BREMEN NA ALEMANHA

O que é uma usina de queima de lixo? Como funciona a usina de incineração de lixo de Bremen? Como funciona o preparo, secagem e combustão do lixo? Como a usina foi modernizada? Já pensou em se especializar em gerenciamento de resíduos sólidos?

veja Mais »